antirrábica

A vacinação antirrábica

Este é um artigo independente. As informações contidas são de integral responsabilidade de seu autor.

*Maíra Eugênia Caralli

No Brasil, em geral, programas e ações (as chamadas políticas públicas) desenvolvidos pelo Estado são ignóbeis, mas as campanhas brasileiras de vacinação – desde a primeira, em 1804, contra a varíola – são usadas como exemplo de eficácia em saúde pública para o mundo inteiro. E a erradicação da raiva é uma delas. E das mais bem sucedidas entre todas.

Em 1973, foram criados o Programa Nacional de Imunização e, paralelo, o Programa Nacional de Prevenção da Raiva. A conscientização popular e as campanhas maciças de vacinação de animais domésticos, de acordo com os protocolos adotados naquele início da década de 1970, transformaram o país em modelo de prevenção e erradicação de uma zoonose gravíssima. A raiva conduz à morte se não for tratada preventivamente (ou “antes”, pela vacina) ou imediatamente após (por vacina e medicação emergencial) uma suposta exposição ao vírus pela mordida de um animal cujo histórico é desconhecido. Depois dos primeiros sintomas, exceto em casos raro s, a doença é fatal: não há tratamento específico, apenas sintomático; e procedimentos extremos de suporte à vida, como o coma induzido para proteção do cérebro, são paliativos e sem nenhuma garantia de sucesso.

O despudor insolente dos governos dos últimos quatorze anos, principalmente durante o descalabro do (des)governo Dilma Rousseff (aquela incapaz de formular uma frase com sujeito, verbo e predicado), quase colocaram tudo a perder! Em 2015, para citar um exemplo, apenas 30 milhões de doses da vacina foram disponibilizados para o país inteiro: não foram suficientes nem mesmo para a metade dos animais domiciliados (isto significa NÃO incluir os animais de rua) que perfaziam um montante em torno de 80 milhões entre cães e gatos. Por sorte ou por outros motivos, como a proliferação de clínicas veterin árias (um dos poucos segmentos que crescem apesar das crises econômico-financeiras que nos estrangulam), houve poucos casos de raiva em humanos – e todos os casos foram causados por variantes da raiva comum em morcegos. 

Falando em morcegos e outros mamíferos silvestres… Estamos entranhados na Mata Atlântica e, por isso, devemos exacerbar nossos cuidados em relação à imunização de nossos bichos.
No próximo dia 18 de agosto, sexta-feira, terá início a campanha anual de vacinação antirrábica em Bertioga. Haverá postos de vacinação em vários pontos da cidade para atender aos munícipes de todos os bairros. No CCZ (Zoonoses), rua Manoel Gajo, 1.644, Parque Estoril, a vacinação de animais é (sempre) permanente. Outras informações pelo telefone 3316 4079.

Agenda dos postos de vacinação nos bairros desta campanha 2017- sempre das 8 às 14h. 

Dia 18 de agosto – sexta-feira
Jardim São Lourenço  – no EMEIF São Lourenço
Maitinga – na padaria Bella Casa
Caiubura – na sede da Associação de Moradores

Dia 19 de agosto – sábado
Boraceia – no Espaço Cidadão e na sede do condomínio Morada da Praia
Guaratuba – na Escola Municipal José Carlos Buzinaro na sede social do campo de futebol
Riviera – no estacionamento do shopping
Indaiá – no EMEIF José Ermírio de Moraes e na UBS

Dia 25 de agosto – sexta-feira
Centro – no Espaço Cidadão
Vila Itapanhaú – no EMEIF Delphino Stockler
Jardim Paulista – no supermercado Semar

Dia 26 de agosto – sábado
Vista Linda – EMEIF Vista Linda
Chácara Vista Linda – EMEIF Chácara Vista Linda
Jardim Rafael – NEIM São Rafael
Jardim Ana Paula – av. Anchieta, 5.640, em frente ao Mercado Renascer
Mangue Seco – NEIM Mangue Seco
Jardim Rio da Praia – Escola Municipal José de Oliveira Santos
Albatroz – no Centro de Informação Turística.
1° de setembro (sexta-feira)
Sítio São João – no Rancho My Power – Rod. Rio-Santos
Vicente de Carvalho II – Pet shop Charles Dog
Centro/Jd. Veleiros – antiga balsa

*Maíra Eugênia Caralli é presidente do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais

Foto: Divulgação/PMC

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação