Banco do Povo tem mais de R$ 500 mil disponíveis para empréstimo, em Bertioga

“Há 8 meses solicitei empréstimo pelo Banco do Povo. Estou pagando em dia e já penso em fazer outro”, afirmou animado, Wilton Bazuco Ortiz, de 28 anos, que há 4 vende jóias em prata.
Ele conseguiu R$ 3 mil e, com o dinheiro na mão, teve um maior poder de negociação com seu fornecedor. “Consegui um desconto maior e assim meu lucro é maior também”, comentou Wilton, que teve como avalista a noiva. O vendedor recomenda o empréstimo. “Os juros são muito baixos. Muito menores do que de banco. Vale a pena”.
O município de Bertioga conta com mais de R$ 500 mil disponíveis para microcrédito por meio do BBP (Banco do Povo Paulista). Entretanto, menos de 30 % de empréstimos foram feitos no ano de 2010, com base na meta estabelecida pelo Governo do Estado, que é de 96 empréstimos por ano, em municípios com população entre 30 e 50 mil habitantes. O valor disponível para Bertioga é de R$ 558,60 e a prefeitura garante contrapartida de 10% desse valor.
Por isso, a prefeitura de Bertioga, por meio da diretoria de Relações do Trabalho, implantou a “busca ativa” de possíveis clientes para o Banco do Povo. Esse trabalho consiste em identificar trabalhadores autônomos ou empresas que possam solicitar o microcrédito e que não tenham conhecimento desse programa, criado para promover a geração de emprego e renda na cidade. “Fizemos a substituição e a capacitação do agente de crédito para iniciar esse trabalho”, informou o diretor, Edson Pereira da Costa.
De acordo com a agente de crédito, Silvia Gomes Gonçalves, em 2010 foram aprovados 96 pedidos de microcrédito. Desde a inauguração do Banco do Povo, em 2002, foram 128 pedidos. Um número baixo, se comparado com a meta. “Por isso, estamos fazendo esse trabalho, para atingir a meta de oito clientes por mês”.

Como aderir
A agente de crédito explica que é fácil solicitar microcrédito, tanto para pessoa física, quanto jurídica. Para pessoa física, o valor mínimo é de R$ 200 e o máximo R$ 1 mil. Os juros são de 0,7% ao mês e o valor pode ser pago em até 36 parcelas. A carência é de até 90 dias. “Pode parecer pouco o valor de R$ 200. Mas para uma costureira, que precisa investir em aviamentos, esse valor é considerável”, exemplificou Silvia.
São necessários os documentos pessoais, a comprovação de que o solicitante trabalha há mais de 2 anos no segmento para o qual solicita empréstimo, além de avalista. Sobre a comprovação, a agente explica que pode ser feito por meio de uma entrevista. “Por exemplo, uma pessoa que costuma vender roupas na casa das pessoas. Geralmente entramos em contato com os clientes”.
Já o avalista pode ser qualquer pessoa, mesmo parente, que assuma o compromisso, por escrito, de pagamento das parcelas, no caso de inadimplência. O solicitante não pode ter restrições ao crédito, como Serasa e SPC.
Para pessoa jurídica, o valor mínimo também é de R$ 200 e o máximo de R$ 7,5 mil. A documentação e as garantias solicitadas são as mesmas para a modalidade de pessoa física, bem como os juros e a quantidade de parcelas.
Silvia explica que a solicitação de crédito deve ser justificada. “Em entrevista com o cliente, procuramos conhecer a sua necessidade”, afirmou a agente, que completou: “fazemos uma espécie de consultoria para garantir um crédito consciente”.
A inadimplência, segundo Silvia, é de menos de 5%.

Serviço: o Banco do Povo fica na av. Anchieta, 1500, no Centro. O telefone é 3316-2561. O horário de funcionamento é das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação