Bertioga volta a registrar baixos índices de mortalidade infantil

Resultado é fruto do acompanhamento desde a gestação até a fase de amamentação

Bertioga apresentou baixos índices de mortalidade infantil em 2010. Foram apenas 7,4 registros a cada grupo de mil nascidos com até 01 ano de idade. Os números fazem parte de dados preliminares divulgados pelos Sistemas de Informação de Mortalidade e de Nascimento da DRS-4 (Diretoria Regional de Saúde), da Secretaria de Estado da Saúde.
Em 2009, Bertioga também registrou menor índice de mortalidade infantil, com 10,3 óbitos para cada mil nascidos vivos
O secretário da Saúde da cidade, Manoel Prieto Alvarez, o Manolo, afirma que os expressivos resultados são frutos de ações diversificadas, como o acompanhamento permanente, desde o período de gestação até a fase de amamentação. Os procedimentos voltados à prevenção têm início já desde os primeiros meses de gravidez, por meio de um prontuário que detalhadamente avalia questões de extrema importância para a vida do feto, em questões como, uso de drogas, casamentos consangüíneos e idade maternal.

Doenças silenciosas
Outros aspectos são acompanhados pelos profissionais da pasta, ou seja, as doenças silenciosas que podem implicar em problemas durante o período de gestação, como a diabetes, hipertensão, colesterol e até mesmo a sífilis, fatores que também são diagnosticados e monitorados.
De acordo com Manolo, este trabalho está sendo desenvolvido desde 2009. “Nossas equipes, compostas por médicos e enfermeiras, acompanham toda a gestação, e com certeza esses procedimentos resultam na saúde da criança, e assim, conquistamos baixos índices de mortalidade. O parto também é feito com um atendimento especializado, visando à prevenção contra o tétano neonatal, além de um serviço destinado a orientações para uma amamentação saudável, ações benéficas para a saúde do recém nascido”, relatou o secretário.

‘Cuidar é Crescer’
Para dar continuidade ao bem estar das crianças, a Secretaria da Saúde, por meio da Seção de Enfermagem, desenvolveu o projeto ‘Cuidar é Crescer’, dirigido a grupos de gestantes e de aleitamento materno, aplicado em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) do município. O trabalho realiza uma busca ativa das gestantes, principalmente as que não comparecem às consultas. A iniciativa atende gestantes e os recém-nascidos, durante 06 meses, período mínimo necessário de amamentação.

Locais de atendimento
O atendimento é disponibilizado às sextas-feiras, das 8h às 12h, no Centro de Saúde III, localizado na rua Jorge Ferreira 60, centro. A mesma ação também é desenvolvida nas UBSs de Vicente de Carvalho II, Indaiá, Vista Linda e Boracéia.
Em Boracéia, o atendimento às mães ocorre na 1ª sexta-feira de cada mês; no Indaiá, as segundas e sextas; na Vista Linda, às terças; e em Vicente de Carvalho, as quartas e sextas-feiras.
Ainda segundo a prefeitura, nas UBSs, os atendimentos ocorrem das 14h30 às 16h45. Das 14h30 às 15h30, o atendimento é dirigido ao grupo de gestantes; e entre 14h45 às 16h45, voltado ao grupo de aleitamento materno.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação