Ficon discute novos desafios para construção civil da região

Barbosa falou sobre a expansão dos cursos técnicos

Os novos desafios da indústria da construção civil foram abordados durante o ‘1º Ficon (Fórum da Indústria da Construção Civil), realizado terça-feira (03), no Mendes Convention Center, em Santos, pelo Sistema A Tribuna de Comunicação.

Representantes do poder público e empresas do setor estiveram reunidos para uma reflexão sobre os caminhos da construção civil e o seu papel na economia da região.

O prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa (PMDB), reforçou a importância da construção civil nesta nova fase de exploração de petróleo e gás na Bacia de Santos e deixou uma mensagem para os prefeitos da região: “A Baixada Santista passou a ser estratégica para todo o Estado, por isso, temos que pensar em um plano de desenvolvimento da região que envolva transporte e infraestrutura”.

Secretários de Estado também estiveram presentes, quando anunciaram novos programas para a região, na área da profissionalização e emprego.

Emprego

A abertura do evento contou com a presença do secretário de Estado de Emprego e Relações do Trabalho, Davi Zaia, que reforçou as medidas que o Governo vem adotando para garantir a qualificação da mão de obra na região. “O governador Alckmin está lançando o programa Via Rápida para o Emprego, que proporcionará interligação entre as escolas técnicas e as empresas para absorção da mão de obra”.

Cursos profissionalizantes

Outros 2 secretários estaduais estiveram presentes. Paulo Alexandre Barbosa, do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, destacou o plano de expansão do Centro Paula Souza, que ampliou nos últimos quatro anos em 122% o número de matrículas em Etecs e 163% em Fatecs. Barbosa também anunciou a criação da 3ª Etec de Santos em 2012 e o lançamento de novos cursos profissionalizantes no setor de construção civil. “A Baixada é uma região estratégica para o desenvolvimento do Estado. Com os investimentos do pré-sal, expansão do Porto e novos empreendimentos imobiliários existe um aumento na demanda por profissionais da área de construção civil. Por isso, vamos ampliar a oferta de cursos profissionalizantes”, prometeu.

Áreas

O secretário de Estado de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, apresentou estudo da Emplasa (Empresa Metropolitana de Planejamento do Estado) sobre a ocupação do solo na Baixada e os projetos para a região. Segundo o estudo, ainda há áreas com potencial para ocupação ordenada e imediata. “A Baixada possui cerca de 5% de seu território em condições de serem ocupados de forma planejada. São áreas já inseridas na malha urbana, que dispõem de toda a infraestrutura. Na Praia Grande, por exemplo, esse número chega a 14%”, disse Aparecido.
O estudo revelou ainda a situação das moradias: grande parte da população das cidades da região vive em áreas inadequadas, com risco de deslizamento ou de enchentes. Só no município de Cubatão, esse número chega a 46% e em Guarujá são 36%.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação