Ligação seca entre Santos e Guarujá continua sem definição

A polêmica sobre o tipo de ligação seca entre Santos e Guarujá continua. E depois do projeto da ponte estaiada ser apresentado e aprovado pela sociedade da região, ano passado, o assunto volta a ser tema de discussões, já que agora o governo estadual anunciou que ainda não está definido o tipo de travessia utilizado – ponte ou túnel. A informação foi transmitida pelo secretário do Estado de Assuntos Metropolitanos, Edson Aparecido, que esteve em Santos nesta quinta-feira (17), para posse do novo diretor da Agem (Agência Metropolitana da Baixada Santista), Marcos Aurélia Adegas.
Edson Aparecido negou que as tratativas tenham voltado a “estaca zero” e afirmou que “o governador deu prazo de 40 dias para a comissão, que analisa a questão, apresentar as possíveis soluções. Ainda não podemos dizer qual será o modelo”.

Sociedade guaruaense
Na terça-feira (15), o Guarujá Convention & Visitors Bureau reuniu representantes de sete entidades guarujaenses para coordenar ações em defesa da ligação seca Guarujá-Santos. Na ocasião foi assinada a Carta aberta ao governador, onde a organização pede definição do assunto. As entidades que assinaram o documento foram: Guarujá Convention & Visitors Bureau, Associação Comercial e Empresarial de Guarujá, Câmara de Dirigentes Lojistas de Guarujá, Rotary Club Guarujá, Associação Médica do Guarujá, União das Associações e Entidades Comunitárias e Assistenciais da Ilha de Santo Amaro e Associação dos Quiosqueiros de Guarujá.

VLT
Outro assunto abordado durante a posse do diretor da AGEM foi o projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) a ser instalado em Santos. Segundo o representante do governo do estado, Edson Aparecido, uma comissão da Secretaria está realizando estudos para elaboração de relatório para ser apresentado ao governador. “Os técnicos estarão em Santos, no próximo dia 23 para levantamento de dados”.

Posse
O engenheiro Marcos Aurélio Adegas foi empossado como diretor-executivo da Agem, com objetivo de priorizar a análise dos indicativos sociais na região e fazer com que a Agem se consolide como centro de inteligência regional.
Adegas fez questão de frisar que a Agência vai realizar o planejamento das ações com a participação dos prefeitos dos nove municípios. “A região vive um novo cenário que vai exigir envolvimento de todos”, afirmou Adegas.
Para o secretário Edson Aparecido, a decisão do governador Geraldo Alckmin de criar a pasta de Assuntos Metropolitanos demonstra a importância estratégica dessas áreas. “Sabemos que os problemas têm origem nas cidades, mas o reflexo acontece na região”, reforçou Aparecido. Ele ainda lembrou os assuntos que já vêm sendo tratados como o transporte, a saúde e o lixo.
A resposta rápida do Governo do Estado para algumas questões foi mencionada pelo secretário como positiva. “O governador já esteve na região divulgando investimentos”, afirmou, referindo-se ao anúncio de R$ 90 milhões que serão aplicados na área da Saúde.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação