Maçons proporcionam acessibilidade no Indaiá

Participantes ainda provaram o “afogado” prato típico da maçonaria

Uma iniciativa das lojas maçônicas de Bertioga proporcionou um dia de praia especial para dezenas de crianças e jovens especiais do Nace (Núcleo de Apoio à Criança Especial) e da Apae da cidade. Eles puderam remar em caiaques, flutuar em pranchas, velejar, jogar capoeira, brincar, dançar ou simplesmente tomar banhos de mar nas cadeiras anfíbias, disponibilizadas pelo programa estadual ‘Praia Acessível’. E ainda desfrutaram de um almoço preparado pelos maçons. Foi o 1º Encontro Nocam de Acessibilidade, que aconteceu no último sábado (16), no Cantão do Indaiá.

Gilberto Alves de Godoy, presidente da loja maçônica Portal de Bertioga, explicou que a meta das três lojas locais é incluir o evento no Calendário Municipal de Eventos, a exemplo de outras cidades. Godoy destacou ainda a necessidade do levantamento do número de crianças especiais na cidade. “Existem hoje várias crianças que não estão cadastradas nos equipamentos públicos que atendem os especiais. O professor José Augusto Coelho Filho [diretor de Assuntos Náuticos] e que preside o Condefi [Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência] conseguiu, na ocasião de inauguração do posto da Elektro em Bertioga, que a concessionária informe nas contas de luz a necessidade deste cadastramento, que é fundamental para o planejamento e execução das políticas públicas e da ação de entidades”.

Afogado na panela

Entre as atrações, os participantes do evento puderam desfrutar do “afogado”, prato preparado pela maçonaria há mais de 100 anos, na vizinha Mogi das Cruzes, e servido aos cavaleiros que passam a madrugada em procissão durante a ‘Festa do Divino’. O cozido de legumes demora horas na preparação até a carne desmanchar e se misturar aos demais ingredientes. Além do sabor especial é considerado perfeito para os alunos com dificuldade de mastigação.

Mais voluntários

Uma das coordenadoras da Apae, Mona Domenek, elogiou a iniciativa da maçonaria, que teve apoio da prefeitura. “É muito importante a integração do voluntário com a pessoa que vai tomar o banho de mar na cadeira anfíbia. É inesquecível, principalmente para que empurra a cadeira”, considerou. Ela também anunciou que a entidade necessita de mais voluntários. “Precisamos urgente de voluntários para ajudar na cozinha, na área educacional, no bazar e na informática”. Segundo a coordenadora, a carga horária para os interessados é de um período de 4h, manhã ou tarde, sendo uma vez por semana. Mais informações na Apae-Bertioga, que fica na avenida Anchieta, 544, centro, ou pelo telefone 3317-2940.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação