Orlandini faz balanço da gestão e anuncia modificações no 1º escalão

Orlandini: “Nem sempre a equipe responde ou tem bom entrosamento”

Como meta para a 2ª metade de sua administração, o prefeito de Bertioga, Mauro Orlandini (DEM), anunciou a modificação na estrutura administrativa, inclusive, com alterações no 1º escalão. O anúncio das intenções para 2011, que ele chamou de início do “2º tempo da administração”, foi feito no último programa ‘Café da Manhã’ do ano, da TV Costa Norte – Canal 48 UHF.

Sem detalhar muito quais seriam as mudanças, Orlandini revelou que durante o mês de dezembro fez uma avaliação de cada membro de sua equipe. “Nem sempre a equipe responde ou tem bom entrosamento. Vamos fazer ajustes para dar mais resultados para a comunidade”, afirmou.

O desmembramento da Secretaria de Habitação e Planejamento Urbano é uma das metas reveladas. “Vamos separar Habitação e Planejamento, ou ainda agregar uma das duas a outra Secretaria”, previu o prefeito, que considerou a segunda como uma importante pasta para o município. Vale ressaltar que a Habitação está sem titular desde o início da Administração.

Subprefeitura

A intenção de criar uma subprefeitura em Boracéia também foi anunciada como meta para o “2º tempo do jogo”. A 1ª medida será destinar uma ambulância permanente para o bairro. Orlandini informou que a Secretaria de Estado da Saúde doou uma ambulância para o município, que ficará lotada em Boracéia. “Essa medida será o embrião da subprefeitura”, comentou.

Ponto de partida

“A minha avaliação do governo é que estamos chegando ao ponto de partida”, afirmou Orlandini. Ele considerou 2010 como um ano de dificuldades e surpresas. Ainda revelou que acreditava que em um ano de Administração conseguiria contornar os problemas, entretanto, foram necessários 2 anos.

Para Orlandini, o ponto de partida será 2011, após conseguir refazer o “alicerce”. “Agora vamos levantar as paredes”, comentou.

Dificuldades

O prefeito se queixou das dificuldades em resolver algumas pendências e exemplificou com a obra da Vila Militar, projeto habitacional executado na Administração anterior, e que conta com problemas estruturais que não permitem a ocupação. “Fizemos mais de 20 reuniões com a Caixa Econômica Federal e não conseguimos resolver”. Ele explicou que o problema deveria ser resolvido entre a CEF e a construtora. “A obra está em um desnível. Deixa como está? Derruba? Autoriza a moradia?”, ponderou.

Comemoração

Mesmo revelando que tem algumas frustrações, Orlandini também vê muito que comemorar. Para ele, na Saúde houve uma melhora grande com a contratação da FuABC, responsável pelo Hospital Municipal.

Além disso, segundo ele, a ACCB (Associação Civil Cidadania Brasil), contratada pela prefeitura, vem desenvolvendo projetos de educação, música, cultura e esporte, com a participação de mais de 7 mil crianças. “Temos muito que comemorar. A vontade de acertar é grande”, finalizou Orlandini.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação