Parque dos Tupiniquins recebe esculturas de Álvaro Bahamondes a partir de segunda (17), em Bertioga

O ambiente marinho na ótica do artista plástico de Ilhabela, Álvaro Bahamondes, poderá ser conferido a partir da próxima segunda-feira (17), na exposição de esculturas confeccionadas em sucatas, no Parque dos Tupiniquins (entorno do Forte São João), centro de Bertioga. A mostra reunirá peças de 1 a 6m de altura, que ficarão expostas à visitação pública de segunda a quarta-feira, das 8h às 17h; e de quinta a domingo, das 8h às 22h, até 13 de março.
A vernissage, marcado para este sábado (15), às 19h, nas instalações do Forte São João, é aberta ao público em geral.
Bahamondes, que é uruguaio de nascimento, mora há mais de 30 anos em Ilhabela. As esculturas, em formas de seres marinhos, são geradas por meio de material sucateado, como cintos de segurança, correntes, embreagens, pedaços de bicicletas, geladeiras, fogões, chapas, automóveis e motocicletas, que vão dando forma a tartarugas, caranguejos, pinguins, parus, baleias e cavalos marinhos.

Na estrada
O trabalho traduz a alma de Bahamondes, que é autodidata. Suas exposições sempre são feitas a céu aberto. Segundo revela o artista, as obras quase nunca voltam para o atelier, pois sempre estão “na estrada”. Conforme o artista, o mais incrível é que, apesar de serem utilizados objetos grosseiros, os seres marinhos deles resultantes são incrivelmente suaves, com “rostos” expressivos; todos eles trazendo uma marca registrada do artista: lágrimas nos olhos, oriundas do medo, tristeza e incerteza em relação ao futuro dos mares e dos seres que nele e dele vivem, cada vez mais ameaçados.
O atelier de Bahamondes fica na Rua Deolindo Mariano Leite, 61, na Barra Velha, região central de Ilhabela.

Casa da Cultura
A influência da música árabe pelo resto do mundo é o que o Grupo Araticum apresenta na Casa da Cultura, neste sábado (15), a partir das 20h. O espetáculo faz parte do projeto ‘Música é Cultura’, da prefeitura e Sesc-Bertioga.
O grupo, formado pelos brasileiros Ângelo Ursini (flauta/clarineta), Ricardo Pesce (acordeon); Ricardo Barros (violão de 7 cordas); Vinícius Pereira (contrabaixo) e Bruno Duarte (percussão étnica e vibrafone), pesquisa a música étnica influenciados pela música latino-americana. Na apresentação constará a influência da música árabe em músicas de outros países.

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação