Professores são capacitados para trabalhar com música

As capacitações começaram dia 27 de março e vão até novembro

Professores de Educação Artística do Ensino Fundamental, orientadores e professores do ensino infantil, assim como as pajens e auxiliares de desenvolvimento infantil e das Atividades Motoras e Ações Recreativas (projeto Amar) de Guarujá serão capacitados para trabalhar com música em sala de aula.

A Secretaria de Educação desenvolve o projeto atendendo a Lei Complementar 11.769, de 2008, que prevê o ensino obrigatório de música no currículo escolar. As capacitações começaram dia 27 de março, no Centro de Capacitação para o Educador Municipal Professora Carmine Felippelli (Rua Ceará, s/n – Vila Alice) e vão até novembro. Os profissionais da rede serão convocados nas próprias unidades de ensino.

Segundo a coordenadora de Educação Musical da Prefeitura, Bianca Rodrigues Lima Vidal, os capacitados serão agentes disseminadores do conhecimento em suas unidades de ensino, nas Horas de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC), por exemplo. “Terá oficinas de prática de instrumentos, de como transformar material reciclado em instrumentos musicais, estrutura e ritmo fonético, jogos, brincadeiras e cantigas de roda. Bem como música popular, erudita e de estudo dos hinos nacional e de Guarujá.”

O trabalho continua depois das capacitações. Bianca passa a assistenciar as unidades de ensino, de maneira a observar o retorno das oficinas, em sala de aula. “A educação musical é bem abrangente. Pode ser trabalhada nas aulas de raciocínio lógico, por exemplo.”

Encanta a alma”

Para a coordenadora da educação musical, a música tem uma linguagem universal, que pertence ao ser humano. “Mesmo que a pessoa não ouça ou tape os ouvidos, vai escutar um som abafado, porque a música faz os ossos vibrarem”.

A professora Nilceia de Oliveira Fontes Morone dos Santos, que dá aula nas E.M.s Herbert Henry Down e Catarina de Oliveira Salgado, disse que a música é motivadora. “O comportamento muda, o aluno fica mais disciplinado. As crianças que pouco falam, a fala desenvolve. As tímidas se tornam diferentes com a música.”

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação