Alckmin

Alckmin entrega viaturas policiais na Baixada Santista

O governador prometeu verificar com a Deinter a melhor estratégia para a criação de uma nova delegacia em Bertioga

Depois de entregar 500 unidades habitacionais da CDHU em São Vicente, na última quinta-feira, 5 de outubro, o governador Geraldo Alckmin esteve em Santos. Pela manhã, foi à sede do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) e do Comando de Policiamento do Interior 6 (CPI-6) da Baixada Santista e Vale do Ribeira, para a entrega de 57 novas viaturas da Polícia Militar que rodarão pelas ruas das duas regiões. À tarde, participou da abertura do Fórum Fundação Casa – Internos da Baixada Santista -, que apresentou pesquisa desenvolvida pelo jornal  A Tribuna, com os 374 internos das seis unidades da instituição na região, sobre o universo deles.

Nos dois eventos, que abordaram faces opostas da questão da criminalidade, ele aproveitou a oportunidade para divulgar a proposta de uma agência integrada de inteligência para o combate ao tráfico de drogas e de armas, levado ao conhecimento do presidente Michel Temer em 2 de outubro. O órgão integraria agentes da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária, das Forças Armadas, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e das polícias estaduais, além do Detecta, sistema de monitoramento por câmaras da Polícia Militar do estado de São Paulo.

Na cerimônia no CPI-6, ele enfatizou a abertura de inscrições para a formação de 2.200 novos soldados da Polícia Militar, que irão para as ruas após 12 meses de curso, e a formatura de novos policiais militares e civis, em breve, além de lembrar que a Baixada Santista acaba de receber 26 novos policiais civis, dos quais quatro delegados, oito investigadores e 14 escrivães. Também ressaltou que o estado de São Paulo receberá, até novembro, mais de 720  viaturas para a PM, parte de uma compra de 1.081 veículos, dos quais 360 estão nas ruas, incluindo os 57 cujas chaves acabara de entregar.

Mas Alckmin não foi preciso ao ser questionado sobre as carências de Bertioga, que tem apenas uma delegacia em seu território com mais de 40 quilômetros de extensão, e pouco menos de 100 policiais militares para mais de 55 mil habitantes. Disse ele: “Não é uma escolha política, é uma questão de estratégia de policiamento. Como cresce muito e tem sempre uma população flutuante, o litoral é uma prioridade”. Especificamente sobre mais uma delegacia na cidade, reafirmou que o litoral é uma absoluta prioridade e que vai verificar com o Deinter (Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior) a melhor estratégia para sanar essa necessidade do município.

Estela Craveiro

Bertioga

Foto: Alexandre Carvalho

 

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação