Polícia estuda possibilidade de suicídio de mulher encontrada em carro

Enfermeira de 25 anos portava seringa, agulha e ampolas no interior do veículo

Bertioga

Marina Aguiar

A Polícia Civil suspeita de nova possibilidade sobre a morte de uma mulher encontrada em um carro, na manhã de quinta-feira, 11, no Indaiá. A enfermeira de 25 anos dispunha, no veículo, de uma seringa com líquido, uma agulha, um garrote e várias ampolas, o que remete para um provável suicídio. A jovem foi avistada dentro do veículo, um Ford Ka branco, por moradores na rua Sabino Abdala, no bairro Indaiá. Uma testemunha afirmou que percebeu o carro na quarta-feira, às 19 horas, mas só estranhou quando reparou que o veículo continuava no mesmo lugar por volta de 9 horas na manhã seguinte. A polícia foi acionada e a primeira suspeita era de que a jovem tivesse sofrido um mal súbito, mas, após a perícia, o delegado titular de Bertioga Sérgio Nassur passou a investigar um provável suicídio.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado pela irmã da enfermeira, ela saiu de casa, no distrito de Guaianases, em São Paulo, com destino ao AMA Itaquaquecetuba, no qual  realizaria plantão das 19 horas de quarta-feira às 7 horas de quinta-feira. Entretanto, a mãe da jovem foi informada da sua falta no trabalho e enviou diversas mensagens via Whatsapp;  a última visualização da jovem ocorreu às 21 horas.

Quando encontraram o carro, os moradores só conseguiram avistar uma pessoa desacordada, mas, como o veículo estava trancado por dentro, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado. Ao quebrarem o vidro, perceberam que se tratava de uma pessoa morta. A mulher foi levada para o IML e, no veículo, a perícia encontrou um garrote de enfermagem caído entre a porta e o banco do motorista; uma seringa com líquido e uma agulha caída atrás do banco do motorista; além de várias ampolas espalhadas pelo carro e na bolsa da vítima.

Segundo Nassur, é muito provável que tenha sido um suicídio. “Não sabemos a procedência e composição do líquido, muito provavelmente, algum tipo de medicação que ela tenha se autoinjetado. Tudo leva a crer que ela tenha descido a serra no intuito de tirar a própria vida, mas claro que estamos apurando todas as circunstâncias. O corpo se encontrava dentro do veículo, trancado por dentro, nenhum sinal de violência externa, tudo indicando se tratar de uma situação de suicídio, infelizmente”.

De acordo com a irmã da vítima, ela não tinha nenhum vínculo com Bertioga, nem o hábito de vir à cidade; também nunca faltava ao trabalho. Ela também informou que a jovem tinha lúpus, o que acarretou sérios problemas de saúde, e ficou internada da UTI durante 20 dias em novembro de 2017.

Foto: JCN

Notícias Relacionadas

Comentários estão fechados

Sistema Costa Norte de Comunicação