Há poucos anos assistir a um filme, ver uma peça de teatro ou visitar um museu no conforto do lar parecia coisa de filme de ficção científica. Há pouco mais de uma década, tudo isso se tornou parte da realidade de milhões de pessoas que têm acesso à internet. No entanto, a maioria das plataformas de qualidade são pagas.

Quando são gratuitas, as plataformas dos chamados conteúdos por demanda costumam oferecer um só serviço especializado. Algumas plataformas, contudo, vem inovando e reunindo num lugar só diversas opções para os amantes das artes em geral.

Esse é o caso do Cultura em Casa, iniciativa inovadora da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte.  A plataforma foi inaugurada no em meados de outubro de 2020 e com as pessoas impossibilitadas de sair em decorrência da pandemia, adquiriu ainda mais relevância.

Apenas nos dois primeiros meses de existência, o Cultura em Casa  teve quase um milhão de acessos de mais de 107 países do mundo. De lá pra cá, a iniciativa - considerada uma das políticas públicas  bem sucedidas de acesso à cultura do governo do estado - foi ampliada.

A plataforma é um colosso das artes, pois cultura é arte e arte é cultura. Tem clipes musicais, entrevistas, espetáculos de dança, gastronomia, artes visuais, ópera, exposições digitais de museus, literatura, cinema, circo, humor, espetáculos de cultura popular e conteúdo infantil.

Artistas consagrados no Brasil e no mundo já marcaram presença na plataforma. Já participaram de espetáculos na plataforma, Camila Pitanga,  Zeca Baleiro, Tom Zé, Fafá de Belém, Débora Falabella, Elza Soares, Jorge Aragão, Elias Andreato, Eva Wilma,  André Abujamra e Vanessa Jackson entre diversos outros expoentes das artes brasileiras.

De tempos em tempos os curadores da plataforma organizam festivais temáticos, ciclos de palestras, exposições cinematográficas entre outras diversas manifestações artísticas. E, o melhor, tudo permanece no acervo para ser acessado quantas vezes os internautas quiserem.

Num momento de pandemia em que o mercado das artes se estagnou, a plataforma também impulsionou a cadeia produtiva de produção artística. ”A ideia é que ela [a plataforma] seja também um instrumento de geração de renda para artistas, técnicos, produtores e profissionais da cultura de forma geral”, afirmou o Secretário estadual de cultura Sérgio Sá Leitão, quando a plataforma foi lançada.

Segundo Leitão, “A plataforma tem mais de 50 instituições culturais vinculadas, entre museus, centros culturais, corpos artísticos, salas de espetáculos, oficinas culturais, fábricas de cultura e outras, e todas produzem conteúdos de grande interesse, que decidimos disponibilizar pela internet”.

O acesso é completamente gratuito. A plataforma pode ser acessa no endereço eletrônico: https://culturaemcasa.com.br/

Aniversário da plataforma

Em comemoração do aniversário de um ano, ao longo do mês, até 30 de abril, a plataforma terá programação especial com artistas fazendo apresentações especiais e uma retrospectiva com espetáculos marcantes neste um ano de existência.  

Em 21 de abril, também no contexto da comemoração de um ano, a plataforma exibiu apresentação de Luiza Gottschalk, a live contou com depoimentos de vários artistas como Nando Reis, Céu, Roberta Campos, entre outros, e um show especial com o artista Tom Zé. As gravações podem ser vistas e revistas no portal do Cultura em Casa.

Já na retrospectiva, é possível assistir o melhor que passou pelo Cultura em Casa neste um ano de existência.

Na sessão, Festival Cultura em Casa, os destaques são para os shows de Oswaldo Montenegro e para a apresentação Matriarquia em Processo, de Camila Pitanga.