A carcaça de um golfinho da espécie Sotalia guianensis (boto cinza) apareceu na tarde de segunda-feira (15) na praia da Enseada, em Guarujá (SP). O Instituto Gremar foi acionado, por meio de acionamento do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), e resgatou o animal. Tratava-se de uma fêmea, adulta, que encalhou já em óbito, com marcas que sugerem interação com rede de pesca. 

Faça parte do nosso grupo no WhatsApphttps://bit.ly/GUARUJAINFO E receba matérias exclusivas. Fique bem informado! 📲

Além disso, o animal possuía cortes extensos e profundos na região ventral e do pescoço, condizentes com lesões causadas por material perfuro-cortante, como uma faca, por exemplo, o que pode estar associado a um ato de vandalismo ou agressão. 

O Instituto Gremar ressaltou a importância da colaboração da população para acionar o resgate o mais rápido possível em casos como esse. Até que a equipe de resgate chegue ao local, é essencial que o público não interaja com o corpo do animal e mantenha distância, a fim de não causar interferência no material que será coletado. A preservação da carcaça é de extrema relevância para a realização de pesquisas e análise de medidas mitigatórias que possam reduzir o impacto ambiental.

Projeto de monitoramento

O  PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

O projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O PMP-BS é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Gremar monitora o Trecho 9, compreendido entre São Vicente e Bertioga.

Para acionar o serviço de resgate de mamíferos, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados ou mortos, entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 ou (13) 99711 4120.