Infelizmente, os felinos estão predispostos a várias doenças de ordem oftalmológica. Algumas delas podem causar cegueira.

No entanto, ao contrário dos cães, pode ser muito complicado identificar cegueira em gatos observando somente o comportamento deles. Por isso, o acompanhamento veterinário é essencial para o diagnóstico dessa condição.

Os felinos têm uma excelente noção de espaço mesmo não enxergando, isso devido aos seus bigodes. Por esse motivo, eles se adaptam bem melhor que os cães nessa condição.

Um bichano cego pode até apresentar alguma mudança no seu comportamento, porém bem discreta.

Além disso, pode acontecer de — devido ao avanço da idade do seu pet ou ele esteja doente — você não perceber que seu bichinho de estimação ficou cego. Contudo, quando ocorre de forma súbita, é mais fácil notar.

Sinais que o seu gato ficou cego

Como dito anteriormente, não é nada fácil perceber a deficiência do seu bichinho de estimação, ainda mais se o problema progride lentamente. Os sinais são sutis. Ele pode, por exemplo, passar mais tempo deitado e não subir em lugares mais altos.

Uma particularidade curiosa e importante que indica a cegueira nos felinos é que, nessa condição, eles costumam colocar os bigodes virados para frente, evitando bater ou esbarrar nos objetos da casa.

Ademais, os olhos costumam ficar vermelhos, perdem o brilho, ficam turvos e as pupilas se dilatam.

A seguir, confira outros sinais que indicam que o seu gatinho está cego. Esbarra nos móveis ou paredes; Tem dificuldade de saltar e passa a cair bem mais; Caminha cautelosamente e mais devagar; Fica assustado, mais medroso e quieto.

Tipos de cegueira em gatos

Basicamente, existem dois tipos de cegueira nos felinos: a de origem ocular (problema no olho) e a de origem neurológica (cegueira central ou amaurose).

Na cegueira ocular, é normal que as pupilas do gato fiquem maiores e redondas. Já na cegueira central, os olhos aparentemente ficam normais. Os dois tipos podem surgir repentinamente.

Doenças que podem causar cegueira nos gatos

Qualquer doença ocular, quando não tratada, pode resultar em cegueira. A seguir, conheça algumas doenças que atacam os olhos dos gatos e podem deixá-los cegos.

Atrofia progressiva da retina em gatos

Muitas das vezes essa doença é hereditária e é possível perceber que o gato está ficando cego. Ela ataca o tecido da retina que, como defesa, se degenera e para de funcionar do modo correto.

Embora afete mais os cachorros, a doença também acomete gatos, sobretudo os das seguintes raças: Siamês; Abissínio; Somali; Persa.

Além de causas hereditárias, a retinopatia tóxica também pode ser a causa da doença. Ela ocorre quando há o uso desorientado de alguns medicamentos, especialmente antibióticos ministrados em doses elevadas ou por um longo período.

Glaucoma

Essa doença se caracteriza pelo acúmulo de líquido no globo ocular do felino que, aos poucos, vai deteriorando a visão. Quando não tratado, o aumento da pressão intraocular pode causar degeneração do nervo óptico e, consequentemente, cegueira nos gatos.

Ceratoconjuntivite seca ou “olho seco”

Embora se desenvolva em pets de todas as idades, esta doença é mais comum nos gatos mais velhos.

A produção da parte aquosa da lágrima de um gato com ceratoconjuntivite seca possui deficiência. Dessa forma, os olhos não são lubrificados corretamente, causando sensação de “areia” nos olhos.

Se não for tratada, a doença evolui. Logo, o animal passa a apresentar manchas turvas nos olhos, o que compromete a sua visão. No entanto, a cegueira decorrente dessa patologia só acontece se o pet não for tratado de maneira correta.

Como melhorar a qualidade de vida do seu pet cego

Após ter a certeza que o seu gato está cego, você precisa cuidar de algumas coisas para tornar a vida do seu bichinho de estimação mais confortável.

Como já mencionado, os gatos se adaptam melhor à condição de cegueira do que os cachorros, pois usam o olfato, tato (bigodes) e audição para compensar a deficiência visual. 

Apesar disso, você deve tomar alguns cuidados. Dentre eles, estão: Evitar fazer barulho alto para não assustar seu pet; não mudar móveis, vasilhas de ração e água, caixa de areia e cama de lugar; ter cuidado com o contato com outros animais da casa, pois sua capacidade de defesa está prejudicada; chamar seu gato pelo nome antes de tocá-lo, assim ele te reconhecerá; não deixar seu gato ter acesso à rua. Nessa situação, as possibilidades de acidentes são bem maiores.

Apesar de ser uma condição triste, os gatos conseguem se adaptar bem à cegueira e, ao seu lado, ainda é possível que ele tenha uma boa qualidade de vida.