A tendência da sustentabilidade tem ocupado locais de destaque nas discussões sobre ecologia e, cada vez mais, tem sido aplicada em diversos nichos e setores do mercado. Os cuidados durante o https://www.pantys.com.br/pages/menstruacao , frequente na vida de centenas de mulheres, inclusive, também foram impactados por esse novo pensamento.

Os absorventes tradicionais levam cerca de 100 anos para se decompor na natureza, uma vez que não são biodegradáveis. Uma mulher, durante a vida fértil, pode chegar a utilizar mais de 10 mil unidades. Trata-se de uma produção de lixo massiva. Além disso, os absorventes descartáveis frequentemente contêm substâncias que podem agredir a pele, causando coceiras, desconforto e até impactando a saúde feminina. 

Buscando formas de atingir o público feminino, que há anos se manifestava a favor de maneiras mais interessantes e sadias de menstruar, muitas empresas têm lançado produtos para o período menstrual. Entre eles, estão os coletores e as calcinhas absorventes, sobre os quais falaremos mais abaixo.

O coletor menstrual é, de forma simplificada, um copinho feito de silicone hipoalérgico, capaz de coletar a menstruação. Ele deve ser inserido durante o período menstrual e, por ser maleável, se adapta ao interior do corpo feminino.

Para colocá-lo, basta fazer uma dobra. Como existem diversos tipos, para saber qual é a melhor para você, às vezes, é preciso fazer alguns testes e, então, inseri-lo na vagina. Não é necessário empurrá-lo até o colo do útero.

Quando inserido corretamente, o copinho abre, criando vácuo. A menstruação, então, é armazenada no seu interior, até o momento do descarte — que pode demorar doze horas, não mais do que isso.

Mulheres com ciclo muito intenso podem ter que esvaziar o copinho a cada seis horas. A maioria, no entanto, tende a fazer o descarte do sangue menstrual após cerca de oito ou dez horas.

Ao retirar o coletor, é preciso higienizá-lo com água fria e sabão neutro. Jamais utilize produtos agressivos à saúde ginecológica, nem sabonetes com cheiros fortes, cores vibrantes e afins. No primeiro e no último uso de cada ciclo, é preciso esterilizar o coletor em água fervente.

O coletor tem feito muito sucesso entre as mulheres por razões diversas: além de ser prático, permite mais liberdade de movimentação, não tende a causar desconforto, não precisa ser retirado na ida ao banheiro e, por manter o sangue isolado, não causa mau cheiro.

O cheiro forte que muitas mulheres sentem durante a menstruação é causado pelo contato do sangue com o algodão ou o oxigênio. Como nenhuma dessas coisas acontece durante o uso do coletor, a tendência é que o odor seja muito discreto.

O coletor não interfere na lubrificação, tampouco causa alterações no pH vaginal. Pode ser utilizado, por fim, até para dormir. Mulheres que nunca tiveram relações sexuais e que acabaram de ter filhos devem evitar a utilização do coletor menstrual. Fora isso, não há contraindicações.

É possível encontrar coletores menstruais com valores que vão de 70 a 150 reais. Não compre produtos do gênero pela internet, de vendedores que você desconhece, especialmente, se os preços forem baixos. 

Uma vez que se trata de um produto para uso pessoal e que estará em contato constante com o interior do seu corpo, ele precisa seguir rígidos padrões de qualidade.

Diversas marcas têm produzido as suas versões da calcinha absorvente. Os tecidos utilizados variam muito, mas são, em geral, antimicrobianos e compostos por várias camadas, capazes de absorver o sangue menstrual, guardá-lo e impedir que haja contato das roupas e da pele com os resíduos da menstruação.

Se bem cuidadas, ou seja, lavadas em água fria e secadas em secadoras ou ao ar livre, as calcinhas menstruais podem durar até cinco anos, a depender da qualidade do produto escolhido e da quantidade de ciclos menstruais enfrentados.

O ideal é fazer a higienização do produto com bastante sabão neutro. Não use amaciante nem produtos que podem causar reações alérgicas, afinal, as suas calcinhas estarão em contato com uma das partes mais sensíveis do seu corpo.

Os tecidos utilizados devem ser respiráveis. Por isso, fuja de calcinhas de plástico ou vendidas por valores muito baixos.