Desde março de 2019 ocorreram mudanças nos radares de diversas estradas federais, inclusive nos radares fixos nas pistas da BR-101.

Nesse mês as rodovias federais do Brasil passaram a operar praticamente sem nenhum radar quando todos os equipamentos que estavam ativos foram desligados. Isso ocorreu depois que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pronunciou que pretendia acabar com a indústria de multas no país.

A partir disso não houve a renovação dos contratos de prestação de serviço dos 2.811 radares fixos existentes nas rodovias federais até o ano passado. No mês de agosto 299 radares usados pela Polícia Federal também tiveram o seu uso suspenso por ordens vindas da presidência.

Neste artigo você vai compreender melhor o que aconteceu com os radares na BR-101 durante o ano de 2019.

Diversos radares da BR-101 foram desativados a partir de março de 2019 atendendo à determinações feitas após o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro a respeito de acabar com a indústria das multas no Brasil.

Alguns controladores de velocidade foram desativados na Grande Florianópolis em Santa Catarina com o intuito de seguir a determinação feita pela Polícia Rodoviária local.

Primeiramente foi dito que a ação teria como principal objetivo melhorar o trânsito da região e, que os equipamentos seriam posteriormente instalados em outros lugares.

A fim de minimizar os impactos dos trabalhos de remoção dos controladores, as ações foram realizadas durante o período noturno e, na ocasião o trânsito foi desviado para a marginal.

No mês de abril a instalação de qualquer radar fixo foi suspensa pelo Ministério da Infraestrutura em todas as estradas administradas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes ( http://www.dnit.gov.br/ .

Ou seja, a determinação é válida para as estradas que não são concedidas. Mas logo depois a Agência Nacional de Transporte Terrestres ( http://www.antt.gov.br/ ) prometeu reavaliar a instalação de novos radares também nas rodovias concedidas.

Segundo foi declarado pela Litoral Sul, no prazo de um ano a própria concessionária iria investir R$ 4 milhões para a implantação de um novo sistema de monitoramento.

O controle de velocidade passaria então a ser feito por meio de um “corredor linear” entre os quilômetros 190 e 217, trecho que vai de Biguaçu à Palhoça. O monitoramento passaria a ser feito por 14 unidades eletrônicas totalmente integradas. Esse modelo é bastante discreto e tem como principal objetivo evitar as freadas bruscas somente no momento de aproximação do radar.

Dessa forma o intuito é que o motorista mantenha uma velocidade constante durante todo o trecho, evitando que a redução da velocidade ocorra somente ao passar por um radar. Isso permite que o trânsito seja melhorado, e ocorra de maneira mais fluida e natural e, ao mesmo tempo que haja grande segurança na via.

O início da implementação do sistema deveria começar após a operação de verão em que há grande movimentação de pessoas que vão ao litoral. A previsão é de que até a conclusão total do projeto devem transcorrer em torno de 9 meses. Assim a finalização está prevista para o final do ano de 2020.

Infelizmente a desativação dos radares na BR-101 imediatamente trouxe consequências indesejáveis à referida pista. No trecho onde ocorreram as desativações o número de acidentes graves teve um aumento de 2% logo nos primeiros meses. Por isso é importante o uso de peças automotivas como https://www.clicksound.com.br/acessorios-para-carros/acessorios-para-exterior/sensor-de-estacionamento.html .

Em contrapartida o número de acidentes gerais tiveram uma redução de 8% com relação ao mesmo período no ano de 2018 de acordo com dados da Polícia Rodoviária local. Mas mesmo observando-se o segundo dado, os especialistas em segurança no trânsito são unânimes em afirmar que sem os radares a tendência é de que o número de acidentes aumente.

Como confirmação disso, a alta registrada no número de acidentes foi a primeira ocorrida desde o ano de 2011 quando diversas medidas de segurança foram adotadas pelo governo brasileiro.

Apesar de alguns motoristas serem contra a instalação de radares devido à tão falada indústria das multas, estudos feitos ao redor de todo o mundo sugerem que os controladores de velocidade são realmente eficientes para prevenir acidentes.

De fato estudos comprovam que em regiões próximas aos radares o índice de acidentes é substancialmente reduzido e, estes voltam a aumentar a distâncias superiores a 1,5km do ponto de monitoramento.

Além de afirmar a real necessidade da utilização de radares em rodovias ao redor do mundo, isso sugere também que a eficácia dos controladores de velocidade são eficientes a um raio de 1,5km, tendo uma boa eficiência.

Com relação aos radares na BR-101 que foram retirados pela determinação do presidente Jair Bolsonaro, é preciso ver se eles serão repostos no ano de 2020.

Como foi visto anteriormente, a readequação pode levar vários meses e custar bastante dinheiro, mas ela é extremamente necessária para que se mantenha a segurança no trânsito da região.