Você já se perguntou o que faz com que grandes empresas continuem retendo talentos e crescendo em suas áreas de atuação, mesmo com o aumento da competitividade no mercado e com as dificuldades pelas quais temos passado por conta da oscilação econômica?

Existem diversas razões para que tal situação ocorra. Ter boa comunicação, oferecer benefícios competitivos, como possibilidade de home office, plano de previdência privada compartilhada e similares, estimular a comunicação não-violenta e prazer pela saúde mental dos colaboradores são algumas delas.

O que há além disso, no entanto? A seguir, falaremos um pouco mais sobre a Filosofia Lean e sobre o seu impacto no crescimento de algumas das maiores companhias do mundo. 

O que é filosofia Lean?

A filosofia Lean, também chamada de Sistema Toyota de Produção, é uma metodologia de gestão que, inicialmente utilizada pelos japoneses da Toyota, tornou-se febre em todo o mundo corporativo.

O objetivo da filosofia é permitir que as empresas maximizem os seus lucros, ao mesmo tempo em que reduzem o tempo necessário para a execução de tarefas e diminuem os custos necessários para cada etapa da produção. É um desafio, é verdade, mas os resultados têm se provado incríveis.

O "Lean thinking", mudança de pensamento baseada nos princípios da filosofia, pensa menos em gerenciamento e mais em otimização de fluxos. A ideia que norteia o pensamento em questão é a seguinte: se todos os produtos e iniciativas são voltados para o consumidor final, por que perder tempo com qualquer coisa que não seja gerar valor para ele?

As empresas devem, sempre que possível, atrelar as suas atitudes e modificações às expectativas e desejos dos clientes. Tudo isso deve ser feito de forma rápida, excelente e de maneira a não onerar o consumidor final. Na prática, é o melhor dos dois mundos.

Pilares do Sistema Toyota de Produção

O Lean Thinking originou-se de dois conceitos: o just-in-time e o jidoka.

Just-in-time, como o nome sugere, é um sistema de gestão e administração da produção de uma determinada companhia. De acordo com ele, é preciso ter as horas exatas de tudo que é produzido, transportado ou comprado, para que se possa otimizar o processo interno e garantir que nada faltará ou ficará para depois.

O Jidoka, por sua vez, diz respeito a um elemento que, especialmente nos dias de hoje, é particularmente interessante: o conceito pode ser traduzido como "automação com toque humano". 

Isso significa que os processos, para que sejam eficientes, devem ser monitorados e, quando necessário, interrompidos ou alterados por uma pessoa. Desta forma, é possível corrigir os erros e crescer.

Gestão Lean hoje

Com o passar dos anos, a filosofia Lean foi se adaptando às modificações do mercado e ganhou forma. Atualmente, utilizamos cinco princípios que, se bem aplicados, colaboram para que as empresas otimizem os seus processos internos sem aumento de custos ou tempo.

Valor: o valor está atrelado à percepção do cliente - afinal, o consumidor final é sempre o mais importante. Assim, uma empresa que deseja prosperar deve saber exatamente o que espera o seu cliente;

Fluxo de valor: após a identificação do que é valor, de acordo com as expectativas do consumidor final, é preciso identificar as etapas que geram o dito valor a um produto ou serviço. Feito isso, eliminamos o que não agrega ou desperdiça;

Fluxo contínuo: a realização de atividades deve ser ininterrupta. Na prática, isso significa que o cliente deve ser atendido de maneira cada vez mais veloz, por meio da redução de etapas desnecessárias e da união de forças para que uma determinada meta seja atingida;

Produção puxada: nada é feito sem motivo. Assim, fazemos apenas o que o cliente deseja - desta forma, não perdemos tempo com o que será descartado, não desperdiçamos recursos e entregamos um trabalho de excelência, focado no que realmente importa;

Perfeição: por fim, dedicar-se ao desenvolvimento contínuo, sempre na tentativa de otimizar processos e criar profissionais capazes de fazer mais com menos recursos e em menos tempo.

Metodologia A3

Uma das principais ferramentas da filosofia Lean é a Metodologia A3. Segundo ela, todos os processos podem ser expostos e resolvidos em uma folha de papel A3.

Para aplicá-la, dividimos o papel em duas partes. Ao lado esquerdo, identificamos o problema em curso. O lado direito fica, portanto, para a resolução do problema em curso. As contramedidas, neste caso, são dadas pela liderança e pelos colaboradores envolvidos no processo interno.

Na metodologia A3, compreendemos, de uma só vez, o contexto, a situação e as metas a serem alcançadas. As propostas de ação, nesse ínterim, são um resultado óbvio.