Quem pensa em planejar a aposentadoria ou comprar uma casa à vista no futuro, deve entender bastante sobre investimentos de longo prazo. Além de claro, se programar com antecedência para alcançar a renda desejada. 

Aqui neste artigo, vamos dar algumas dicas para que você pode escolher os melhores ativos para investir e começar a guardar para ter um futuro com tranquilidade. 

Confira as nossas dicas abaixo:

Longo prazo x risco 

Seja na renda fixa ou na renda variável, o mercado dispõe de aplicações para curto, médio e longo prazo com diferentes níveis de risco. É importante frisar que, mesmo que seja baixo, toda aplicação possui riscos, então é importante ter uma noção de tudo o que está envolvido na hora de investir e ficar ligado! 

Geralmente, as metas de longo prazo estão ligadas a aposentadoria complementar. Se você quer começar a poupar, é importante ter uma noção dos riscos em certos fatores como o resgate da aplicação. É importante entender se a migração ou resgate parcial ou total antes do período previsto afeta a rentabilidade do investimento e sofre com a incidência de tributos maiores. 

É importante conhecer todas as taxas envolvidas para não ser surpreendido no futuro. Saiba a alíquota de imposto de renda, de acordo com o período de resgate, estude as possibilidades de perda, se certifique sobre as taxas para não ser surpreendido no futuro. 

Tempo e rentabilidade 

Os investimentos de longo prazo são focados na rentabilidade entre 10 e 30 anos. Quando você escolhe aplicações de renda fixa, o valor tende a crescer, de acordo com a Taxa Selic. Em tempos de Selic alta, a rentabilidade é maior por conta dos juros. Se há incidência de juros compostos no investimento, a rentabilidade tende a acelerar com o tempo. 

O que pode se intensificar ainda mais se o investidor faz aportes mensais. Na renda variável, é preciso ficar bastante ligado às oscilações do mercado, nele é possível tanto colocar a rentabilidade lá em cima, como ter perdas, o que varia muito.

Em um plano de previdência privada, por exemplo, se os ativos são em sua maioria de renda variável, provavelmente a rentabilidade do montante investido será maior. Agora, se o plano é mais tradicional, com maior parte dos ativos em renda fixa, os riscos diminuem, mas a rentabilidade também, a vantagem é que a mais constância nos rendimentos. 

Imposto de renda

A tributação de imposto de renda é um ponto a considerar, principalmente, para quem investe em renda fixa. A maior dos CDBs, Títulos do Tesouro Direto e planos de previdência privada sofrem incidência de imposto de renda. 

A dica aqui é escolher um plano com previdência regressiva, que adotam uma tabela regressiva,  fazendo com que após 720 dias, ou no caso dos planos de previdência privada em alguns anos, a incidência do imposto seja de 15%, a melhor alíquota possível. Na renda variável, também é importante checar a incidência de imposto de renda. 

Renda Fixa 

Se você quer investir a longo prazo na renda fixa, você tem um grande leque de opções. Além dos planos de previdência privada, você também realizar investimentos em CDBs, LCIs e LCAs, por exemplo. 

Porém, os títulos públicos podem apresentar uma oportunidade melhor porque são mais seguros e tem produtos de diversas categorias. É possível, por exemplo, investir no Tesouro IPCA prefixado, pagando uma taxa de juros acordada ao fazer a aplicação e receber a taxa no futuro com a variação da inflação. 

Quem não quer correr riscos e manter o seu poder de compra, pode optar pelo Tesouro IPCA+, que garante rendimento acima da inflação, ou seja, mesmo que não haja uma rentabilidade acentuada, você tem a certeza de que o seu dinheiro terá tido algum ganho real. 

Renda Variável 

Se a ideia é investir em renda variável, uma boa opção de investimento a longo prazo é investir em ações de empresas consolidadas na Bolsa de Valores. Outra dica é comprar cotas de fundos de investimento. Porém, para investir neste mercado é preciso conhecer bastante, adquirir bastante experiência para sempre se prevenir contra as oscilações do mercado. 

Diversifique os investimentos 

Na hora de escolher um investimento a longo prazo, você precisa entender que aportar todo o seu dinheiro em uma única aplicação pode não ser o melhor negócio. O ideal é que você diversifique os investimentos para resguardar o seu patrimônio e potencializar a sua rentabilidade. 

A dica de diversificação é apostar um plano de previdência privada e colocar um capital na renda fixa e na renda variável, assim você pode resguardar o investimento para cobrir as perdas. É essencial também que você invista em uma reserva de emergência para não precisar resgatar um investimento de longo prazo.