A oitava edição do Festival Brasil Ride Botucatu teve encerramento no domingo, 22, após reunir ciclistas de todo o País no maior evento de esporte outdoor em território nacional. Além de consagrar os ciclistas de cerca de 50 categorias, entre as disputas do Warm Up Pro, Warm Up Sport e E-Bike, a competição trouxe de volta a muitos desses esportistas o prazer de competir no Tour Bike da Brasil Ride.

"Realizar a Brasil Ride é sempre um desafio. Mas, neste ano, foi maior ainda. Além de todos os cuidados que temos com os ciclistas dentro das trilhas e nos circuitos, em 2020 nos estruturamos para seguir todos os protocolos de segurança em relação à Covid-19. São situações novas e que exigiram muito mais de nós como equipe. Contudo, é sempre uma satisfação ver as pessoas vencendo seus desafios e se superando cada vez mais", disse Mario Roma, fundador da Brasil Ride. 

"Pudemos movimentar mais de 6 milhões de reais na economia local, em um momento tão difícil para as pessoas e para o comércio local. Desde 2010 nós procuramos proporcionar a melhor experiência para as pessoas. Este ano, nos esforçamos mais do que nunca para atingir esse objetivo. Além de uma experiência única, trabalhamos para garantir a segurança a seguir rigorosamente todos os protocolos que envolvem a pandemia da Covid-19", reforça o fundador da competição. 

Nas duas principais disputas do evento, os ciclistas Leandro Donizete (Team Groove) e Letícia Cândido (Specialized Racing BR) foram os campeões e escreveram seus nomes na história do evento, ao lado de grandes ciclistas que já ocupavam o "hall da fama" do Festival Brasil Ride. Na E-Bike, modalidade que pela primeira vez no Brasil contou com uma prova por etapas, Erick Bruske (Specialized Racing BR) e Rejane Matias (Caça Pedal - MTB) foram os vencedores da disputa de bikes assistidas.

Demais campeões do Warm Up Pro

Os demais campeões do Warm Up Pro foram: Magdalena Mihura e Miriam Gomes (dupla feminina); Andre Di Carlos e Carlus Eduardo (dupla máster); Fernando Raia e Aline Mariga (dupla mista); Maicon Augusto e José Silva (dupla open); Ramon Lopes (junior); Luisa Silveira e Jaisson Madeira (Juvenil); Nayara Caldas (máster A); Luciana Barbosa (máster B); Ítalo Noesse (máster A1); Carlos Paixão (máster A2); Wagner Quirino (máster B1); Carlos Darrós (máster B2); Alberto Serafim (máster C1); José Lopes (máster C2); José Andrade (máster D1); Ailton Santos (máster D2); André Macedo (PCD); Vitor Bento (sub-23); e Diego Gonçalves (sub-30).

Demais campeões do Warm Up Sport 

Os campeões do Warm Up Sport em suas diversas categorias foram: Juliana Andre e Fabio Ribeiro (elite); Victória Scodeler e Guilherme Matos (infanto-juvenil); Júlia Fulaneto e Gabriel da Silva (juvenil); Letícia Marques e Arthur Ferreira (junior); Camila da Silva (máster A); Fernanda Castanho (máster B); Nani Scolastrici (máster C); Tiago da Silva (máster A1); Paulo Ferreira (máster A2); Cleber Luca (máster B1); Marco Ribeiro (máster B2); Wilson da Silva (máster C1); José Ferreira (máster C2); Emílio Machado (máster D1); José Luiz Ferreira (máster D2); Bruno Otaviano (PCD); Gabrielle Autran e Juliano Franco (sub-23); e Angélica Amorim e Ivan Alves (sub-30).

Tour e Kids Bike Race 

A disputa da Tour fez sua estreia no Festival. A categoria foi criada com o intuito de incentivar a prática de ciclismo para iniciantes. O percurso, preparado cuidadosamente para a diversão dos ciclistas, levando em conta a pouca experiência dos participantes na modalidade. Já a sempre divertida Kids Bike Race, com 1 km de extensão, foi a responsável por encerra as atividades do evento.

Protocolos de segurança 

Para realizar a competição, diversas são as regras definidas pela organização em parceria com a Prefeitura de Botucatu, pensando na segurança dos participantes para a realização do evento. Todos os competidores e estafes tiveram utilizar máscaras como equipamento obrigatório. A arena foi montada pensando em evitar aglomerações, devendo ser mantido o distanciamento mínimo de 1,5 m entre as pessoas. E, excepcionalmente neste ano, não houve área de alimentação, nem de expositores.

A entrega de kit foi realizada em mais de um local (antecipadamente em Botucatu, São Paulo e Bauru) e em um período maior, com bastante antecedência. Os atletas tiveram que preencher um questionário médico sobre a Covid-19. Largadas em ondas, disponibilidade de água, sabão e álcool em gel para a higienização das mãos, a inexistência de guarda-volumes, hidratação com galão d'água servido por estafe devidamente paramentado com EPIs, entre outras regras, também foram definidos pela organização.

Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa em sua vida.