A canoísta Bruna de Abreu Libório, de 15 anos, foi convocada para treinar com a Seleção Brasileira de Remo, a partir deste ano. A atleta pratica as modalidades do esporte desde 2018, quando começou a receber aulas do seu pai, Jeferson de Oliveira Libório, que é treinador do projeto social esportivo Santa Cruz Canoagem, mantido pela prefeitura de Guarujá, executado no Centro Esportivo Santa Cruz dos Navegantes (Estrada de Santa Cruz dos Navegantes, s/nº).

Participe dos nossos grupos ℹ   http://bit.ly/COSTAGUARUJÁ 🕵‍♂Informe-se, denuncie!

Os treinos com a seleção serão na modalidade de velocidade, e fazem parte de um planejamento da Confederação Brasileira de Remo (CBR), que vai até o ano de 2024. Bruna deve confirmar a sua vaga até o dia 15 de julho, e então embarcar para a concentração do grupo, em Cascavel (PR), onde passará a morar.

A convocação veio após ela participar do Campeonato Brasileiro Interclubes de Canoagem Velocidade e Paracanoagem, em Brasília (DF), onde concluiu a prova de 500 metros da modalidade, em cerca de dois minutos e 38 segundos, garantindo a vaga e a segunda colocação.

A relação de Bruna com a água, no entanto, não começou com os remos. O primeiro esporte que treinou foi a natação, desde pequena. Apesar de bem sucedida no nado, ela resolveu fazer a troca para a canoagem, o que rendeu o começo de uma carreira de destaque em campeonatos nacionais e sul americanos. “É muito satisfatório para nós. O mérito é todo dela, ela é uma menina muito dedicada e nunca mediu esforços para chegar até aqui”, destaca o pai e treinador.

Como exemplo da dedicação de Bruna, ele conta que a menina só sai da rotina dos treinos em casos extremos. “Muitas vezes, em dias de chuva ou de frio, eu mesmo não queria ir treinar, mas ela insistia. Além disso, ela sempre treinou com os meninos mais velhos”.

Até na flexibilização dos esportes individuais no mar, os treinos continuaram longe da água, na casa da família. “Agora que voltamos para a água, estamos tomando todos os cuidados necessários”, explica Jeferson.

Para a atleta, a oportunidade na seleção servirá também para começar a treinar com meninas da mesma idade. “Nunca tive um treino concentrado em equipe. Vai ser muito gratificante, tanto no esporte quanto pessoalmente, pois eu também nunca morei fora da região”, diz Bruna.