A diretoria do Corinthians segue trabalhando para sanear as dívidas do clube.

Na noite dessa quinta-feira, Wesley Melo, diretor financeiro corintiano, revelou que há negociações avançadas com mais duas empresas que devem auxiliar a gestão alvinegra a equalizar as contas.

Durante uma Live no canal da Gaviões da Fiel, Wesley explicou que há um acordo encaminhado com a KPMG, uma das quatro maiores empresas multinacionais no setor de auditoria, consultoria e assessoria tributária.

“Está vindo para anos ajudar com essa dívida de mais de R$ 900 milhões, com esse pepino de R$ 900 milhões. Vai nos ajudar de caixa projetado, separar quais meses tem saldo negativo, saldo positivo. Claro que temos isso, mas a KPMG é uma empresa que está acostumada a fazer. Não é uma auditoria, é uma inspeção. A gente precisa, de fato, reduzir essa dívida, alongar, dar um fôlego, e ser honesto com cada um desses credores, explicar qual é a situação. A gente quer honrar isso”.

Wesley Melo também afirmou que o Corinthians está muito próximo de fechar uma parceria com uma empresa de compliance, mas preferiu não revelar o nome.

“Já tem uma empresa definida, está bem encaminhado, O Herói Vicente (diretor jurídico) e seu pessoal fizeram uma seleção, gostei muito do que vi, o Adriano (irmão de Duilio), que é o secretário geral, gostou muito também. A gente está muito entusiasmado”.

Em março, o Corinthians já havia anunciado uma parceria de um ano com a Falconi para ter um auxílio profissional do aperfeiçoamento da gestão.

A grande preocupação do clube é com a dívida de R$ 956,9 milhões, confirmada com a publicação do balanço financeiro de 2020.

Redução da folha salarial

Durante a Live, Wesley Melo aproveitou para explicar que as folhas salariais estão em dia e que o clube, nesse momento, deve aos atletas valores referentes a direitos de imagem e férias do ano passado.

O dirigente ainda afirmou que já houve uma redução na folha de salários do elenco.

“A folha estava em R$ 14 milhões e pouco em dezembro. Agora, em fevereiro e março, ela já está na casa dos R$ 13 milhões. Algo em torno de R$ 1,7 milhões / R$ 2 milhões já foi reduzido, mas a gente espera uma redução maior para dar uma equilibrada”.

Neo Química Arena

Sobre a dívida que remete ao estádio, Wesley Melo se mostrou bem mais otimista e reiterou que é questão de tempo para que o acordo com a Caixa Econômica Federal seja oficializado.

“Tem uma renegociação com a Caixa que já foi feita, está em período de formalização. Tem toda uma burocracia por causa disso, estão tomando todos os cuidados, mas o espírito da negociação já foi feito. Eles querem receber e a gente quer pagar. Agora é um ponto de período de auditoria da SPE (Sociedade de Propósito Específico), algo que a Caixa pediu. A gente está aguardando. Saindo isso, a gente apresenta e deve concluir”.

O Corinthians deve ficar com a obrigação de arcar com R$ 569 milhões, sendo que R$ 300 milhões serão abatidos com o valor da venda do naming rights.Gazeta Esportiva