O rodízio de goleiros continua na Seleção Brasileira. Depois de Alisson e Ederson ganharem chances nas duas primeiras rodadas da Copa América, agora será a vez de Weverton, do Palmeiras, defender a meta diante da Colômbia, na quarta-feira, pela quarta rodada do torneio.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, o arqueiro palmeirense confirmou a titularidade, falou sobre a disputa acirrada pela posição e sobre a expectativa para a partida.

“A gente sabe realmente o quanto é concorrida a posição de goleiro. Sempre foi em todo o histórico da Seleção Brasileira. É procurar fazer o melhor, agarrar a oportunidade, fazer um grande jogo e manter o nível que todos estão tendo. Aproveitar a oportunidade e se firmar, esse é o objetivo”, afirmou.

Weverton foi convocado para a Seleção Brasileira principal em 25 ocasiões, mas só realizou quatro partidas até o momento. Mesmo com o baixo número de atuações pela amarelinha, o goleiro garantiu estar pronto para enfrentar a Colômbia.

“A preparação vem desde o clube. É fazer um grande trabalho no clube para ser chamado pelo Tite, chegar aqui e se preparar bem, fazer grandes treinos pensando em jogar e depois levar para dentro de campo tudo o que trabalhou, treinou e viveu no dia a dia. É aproveitar a oportunidade, jogar bem, para merecer vencer e merecer mais oportunidades”, explicou.

O jogador do Palmeiras também disse não acreditar que o rodízio entre os goleiros seja por uma questão tática e projetou o embate de quarta-feira.

“Eu acho que o Tite ele é detalhista, mas acredito que esse não seja um fator determinante para a minha oportunidade, mas sim uma programação da comissão pelo que eles têm acompanhado tanto no clube quanto na Seleção. A Colômbia é muito forte, assim como os outros adversários. Espero manter o padrão, fazer um grande jogo, manter o bom nível de atuação para que a gente possa buscar mais uma vitória”, pontuou.

Por fim, Weverton ressaltou que a convocação para a Copa América não garante um chamado para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, mas confessou que um bom desempenho no torneio pode ser um grande passo para isso.

“Esse tem sido um período longo, importante para nós jogadores, e também acredito que também para a comissão poder observar com mais atenção e mais tempo todos os jogadores. Normalmente, as datas Fifa têm dez dias, é tudo mais corrido. Hoje eles conseguem observar mais e fazer mais treinamentos. Mas também sabemos que até a Copa (do Mundo) ainda tem muito tempo, toda uma temporada e muita coisa pode acontecer. Nesse período não vai se cravar nada, mas pode dar um passo. Ainda tem toda uma temporada, você tem que fazer grandes jogos pelo seu clube, merecer estar na Seleção e ter uma oportunidade na Copa”, concluiu.

Líder do Grupo B e já classificado para as quartas de final da Copa América, o Brasil enfrenta a Colômbia às 21 horas (de Brasília) de quarta-feira, no Nilton Santos, pela quarta rodada do torneio.Fonte: Gazeta Esportiva