Por meio de ação ajuizada nesta sexta-feira (14/5), a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital requer que o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, três funcionários da instituição e a empresa Air Liquide Brasil sejam condenados por ato de improbidade administrativa.

O caso envolve dispensa de licitação e superfaturamento na compra, em 2020, de mistura medicinal de óxido nítrico balanceado com nitrogênio. A inicial é assinada pelo Promotor de justiça Ricardo Manuel Castro, da Promotoria do Patrimônio Público da Capital.MPSP