De acordo com informações obtidas pelo Sistema Costa Norte nesta segunda-feira, 1º, o governo estadual não vai revisar  a classificação no Plano SP da Baixada Santista. Não antes da próxima reclassificação prevista para começar a valer daqui uma semana. O pedido de revisão havia sido feito na sexta-feira, 29, pelo Condesb (Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista) que reúne as nove cidades da Baixada Santista (Bertioga, Santos, Guarujá, Cubatão, São Vicente, Praia Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe).

A Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do governo estadual afirmou que "o anúncio da reclassificação do Plano SP para todo o Estado, sem exceções, está previsto para 6ª feira (5/2), com as medidas valendo a partir de 2ª feira (8/2)". Sem a reclassificação extraordinária pleiteada pelo Condesb, fica mantida a fase vermelha intercalada com a laranja no mínimo até a próxima segunda-feira, 08, quando começa a valer a nova reclassificação ainda não anunciada.  

O Conselho, presidido pelo prefeito santista Rogerio Santos (PSDB), argumentou junto ao governo estadual que os índices da região possibilitariam classificação em fase menos restritiva.  Os indicadores utilizados pelo governo estadual são relativos à ocupação de leitos de UTI por pacientes com covid-19, número de óbitos por grupo de 100 mil habitantes e novos casos. Na última reclassificação, a região caiu da fase amarela para fases mais restritivas.  

A Baixada Santista está atualmente classificada na fase laranja intercalada com a fase vermelha. Durante os dias úteis das 8h às 20h vigora a fase laranja, nestes mesmos dias das 20h às 6 e aos finais de semana, vigora a severa fase vermelha, em que apenas serviços essenciais são permitidos.  

Participe do nosso grupo ➤ http://bit.ly/CostaNorte4Info 📲 Informe-se, denuncie!🔵

A recusa do governo do estado se dá após o primeiro fim de semana de fase vermelha em que diversas formas de desrespeitos às normas foram registradas nas praias ou nos estabelecimentos em Santos, Guarujá, Praia Grande e Bertioga. Bailes funks, bares abertos em horário não permitido, interdições, comemorações de torcidas, guarda-sóis e aglomerações nas praias ocorreram no primeiro fim de semana da fase vermelha em quase metade das cidades da Baixada Santista. 

Atualização 02/02 - 17h28

Em coletiva de imprensa, realizada neste dia 1º, o governador João Doria (PSDB) afirmou que se o número de internações e de óbitos permanecerem em queda, o governo poderá suspender as medidas impostas pelo Plano São Paulo ao comércio não essencial, tal como bares, shoppings e restaurantes não somente na Baixada Santista, mas em outras regiões do estado. Os estabelecimentos são proibidos de funcionar nos períodos de fase vermelha.

Saiba mais

Após problemas em 1º fim de semana de fase vermelha, Baixada Santista, SP, pode escapar do lockdown

Leia também

Praia Grande, Santos, Guarujá e Bertioga têm problemas em 1º fim de semana da fase vermelha | Vídeos

Baixada no Vermelho: prefeituras da região pedem revisão da fase vermelha e laranja ao governo de SP