Entre os dia 17 de junho e 1 de julho foram testados 76 moradores da Prainha Branca, no Guarujá, dos quais 41 tiveram resultado positivo para o novo coronavírus e três faleceram,  vítimas da covid-19 . Na próxima quarta-feira, 15, a Secretaria de Saúde do Guarujá irá enviar uma equipe ao vilarejo, onde serão testados, com o teste RT-PCR, moradores das residências onde houveram óbitos, assim como quem teve contato com os doentes. 

De acordo com o secretário de Saúde do Guarujá Victor Hugo Straub Canasiro, os primeiros testes, no dia 17 de junho (40 pessoas) foram realizados pela pesquisa regional denominada Epidemiologia da Covid-19 na Região Metropolitana da Baixada Santista (Epicobs). Já no dia 1 de julho, os testes, em 36 pessoas, foram feitos por uma equipe da Unidade de Saúde da Família (Usafa), do Perequê, por meio de coletas de sangue intravenosa, para análises no Hospital Emílio Ribas.

Além das 41 pessoas testas nestas duas datas, outros cinco tiveram a confirmação da doença (dentre elas as três falecidas) nas cidades vizinhas, Santos e Bertioga, por isso o número apresentado é de 46. Outros moradores sentiram sintomas leves e não foram testados, pois já estavam bem, quando os testes foram realizados, segundo informações da Sociedade Amigos da Prainha Branca. 

Participe dos nossos grupos ℹ📲  https://bit.ly/COSTAAGORA  Informe-se, denuncie!

O secretário afirmou que os três óbitos, registrados fora do município, representam um número alto para uma comunidade pequena e que a prefeitura está preparando uma ação de contingenciamento para o local. "Eu pedi que a gente iniciasse um planejamento estratégico e a primeira ação, de imediato, será a testagem, para constatar a presença do vírus". 

Ele disse, ainda, que as cidades onde foram registrados os três óbitos (Bertioga e Santos) precisam passar as informações para Guarujá, para que a Vigilância Sanitária do município possa elaborar o planejamento estratégico de ações. 

Segundo ele, não há a possibilidade de testar todos os moradores, com RT-PCR,  pois o Ministério da Saúde recomenda que sejam feitos apenas em pessoas sintomáticas. "Eu estou quebrando o protocolo [testando os familiares] porque eu preciso saber se eles não vão tornarem-se transmissores". 

O médico lembrou que para conter a propagação da doença é preciso seguir à risca as recomendações de uso de máscara e álcool em gel e lavagem das mãos, além de evitar aglomerações. Para quem testar positivo, ou tiver contato com doentes, a recomendação é o isolamento, por 15 dias. 

Teste Epicobs

Batizado de Epidemiologia da Covid-19 na Região Metropolitana da Baixada Santista (Epicobs), o estudo foi realizado nas nove cidades da região com voluntários escolhidos aleatoriamente via sistema computadorizado, submetidos a um teste rápido que, em apenas 15 minutos, mostra se já tiveram contato com o novo coronavírus por meio da identificação de anticorpos.  No Guarujá foram realizados 434 testes rápidos, em quatro quinzena, com um total de 100 positivos. 

Diferença entre os dois testes

Os teste realizados na comunidade, nos dias 17 de junho e 1 de julho, são feitos com coleta de sangue (exames imunocromatográficos), também conhecidos como testes rápidos, que verificam a resposta do sistema imunológico ao vírus. Ou seja, identificam se o corpo já criou anticorpos contra a doença.

O próximo exame, a ser realizado na quarta-feira, 15, apenas para as famílias dos pacientes que foram a óbito, é o RT-PCR,  que tem o objetivo de identificar o vírus no período em que está no organismo. Nele, são analisadas amostras retiradas da cavidade nasal e de orofaringe para determinar a presença do vírus.