Faltando menos de 12 horas para o início da fase laranja-vermelha, apenas Santos, Guarujá, São Vicente e Itanhaém, entre nove cidades da Baixada Santista, confirmaram inequivocamente que irão aderir à determinação estadual de recuo à fase laranja combinada com vermelha, a partir desta segunda-feira, 25. A não confirmação tem gerado expectativa pois a região não aderiu a uma reclassificação similar no período de Natal e réveillon.  

Com a covid-19 saindo de controle, matando uma pessoa a cada seis minutos em SP e taxa de ocupação de UTIs acima de 70%, o governo estadual promoveu um recuo sem precedentes em todas as regiões do estado em reclassificação extraordinária realizada no Palácio dos Bandeirantes, no início da tarde desta sexta-feira, 22. As duas fases são as mais restritivas.  Nenhuma cidade do estado permaneceu na fase amarela.

Além disso, como medida emergencial para conter o avanço alarmante da covid-19, mesmo as regiões que recuaram para a fase laranja vão permanecer na fase vermelha todos os dias das 20h às 6h e aos finais de semana (saiba as regras detalhadas de cada fase aqui).

Este panorama é a caso da região da Baixada Santista, anteriormente na fase amarela. As mudanças passam a valer a partir da próxima segunda feira, 25, e seguem em vigor até a dia 8 de fevereiro, data em que está programada uma nova reclassificação.

Saiba mais

Santos vai adotar restrições das fases laranja e vermelha; Saiba o que será ou não proibido

Litoral Vermelho: após Santos e Guarujá, São Vicente anuncia adesão à fase laranja e lockdown

Santos foi a primeira cidade da Baixada Santista a confirmar a adesão, horas depois da reclassificação do Governo Estadual. “Vamos seguir a determinação. Não podemos repetir erros de outros locais, que não tomaram as medidas preventivas. Depois, não adianta lamentar. Claro que há um prejuízo econômico, mas vamos buscar soluções. A vida está acima de tudo”, declarou, por meio de nota, a gestão municipal.

A prefeitura Santista também anunciou que disciplinará legalmente a questão em sintonia com o regramento estadual. "A partir da publicação do decreto estadual, o Município também fará uma regulamentação, a ser publicada na segunda-feira, 25, se adequando às novas regras".

A cidade seguiu a orientação do governo estadual de não esperar até a segunda-feira para iniciar medidas de contenção do vírus e iniciou a montagem de barreiras sanitárias nas entradas do município, ainda na fase amarela, neste sábado, 23, com a perspectiva de mantê-las até a próxima segunda-feira, 25, período de feriado prolongado na Capital em que há grande fluxo de veículos para a região.

O objetivo, declarou a prefeitura, "é impedir o acesso de vans e ônibus de turismo de um dia, além de prestar orientações quanto às novas restrições impostas à Baixada Santista para controle da pandemia de covid-19".

Após Santos, a gestão municipal de Guarujá também confirmou a adesão à reclassificação. “Guarujá seguirá as medidas restritivas impostas pelo Governo de São Paulo nesta sexta-feira”, declarou, por meio de nota, a gestão municipal, no final da tarde de sexta-feira, 22.

Leia também

SP: Locomotiva Rumo ao Abismo; mesmo com uma morte a cada 6 minutos, 220 mil veículos vão ao litoral

A gestão municipal lembrou os índices de disseminação do vírus na cidade, atualmente abaixo da média da região e também pediu a colaboração da população e turistas. [A cidade vai aderir à reclassificação] mesmo com índices do Município apontando baixo comprometimento da rede pública em relação a leitos covid-19 (29% de ocupação nas UTIs, ante 45% na média da Baixada Santista). O Município recomenda cautela e bom senso na utilização de praias e espaços públicos, com o uso de máscaras e adoção das medidas profiláticas condizentes com a pandemia do novo coronavírus”. 

Na mesma data, Tiago Cervantes (PSDB), prefeito de Itanhém, confirmou a adesão da cidade ao recuo determinado pelo executivo estadual.  “Precisamos entender que esta mudança é justamente para o achatamento da curva da covid, principalmente para assim não comprometer nosso sistema de saúde”, declarou. 

O Secretário de Saúde do Município, Fábio Crivellari Miranda, pediu colaboração aos moradores da cidade e aos turistas. A população, declarou o secretário, precisa reforçar o distanciamento social e evitar aglomerações ou reuniões sociais, além de uso obrigatório de máscaras em locais de acesso público e higiene frequente das mãos com o álcool em gel, “só assim todos os esforços terão efeito”.

Um dia depois, neste sábado, 23, a prefeitura de São Vicente se juntou às outras três e anunciou que irá aderir, a partir desta segunda, 25, à reclassificação da cidade para a fase laranja combinada à vermelha. "Considerando que o Plano São Paulo é uma determinação legal com vigência em todo território estadual, cabe à Prefeitura de São Vicente acatar as restrições determinadas pelo Governo Estadual", declarou, por meio de nota, a prefeitura de São Vicente. 

A adesão ao recuo, segundo a prefeitura, vai se traduzir em medidas educativas e fiscalizatórias. "Iniciamos um trabalho intenso de conscientização, incluindo barreiras com orientações sanitárias no sentido de evitar a disseminação do coronavírus".

A prefeitura de Bertioga declarou que se pronunciará nesta segunda-feira. A prefeitura de Mongaguá declarou que o prefeito Márcio Melo Gomes (Republicanos), está em reunião com uma equipe técnica estudando as medidas a serem adotadas”

O Condesb (Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista), órgão que reúne as nove cidades da Baixada Santista, deve se reunir nesta segunda-feira, 25, para discutir as ações coordenadas da região em relação à fase vermelha.

Faltando menos de 12 horas para o início do recuo, as prefeituras de Cubatão, Peruíbe, Praia Grande e Itanhaém não se pronunciaram (leia atualização ao final desta matéria). 

Peruíbe, SP, confirma adesão à fase laranja-vermelha e terá lockdown nas praias aos finais de semana

POR QUE O SILÊNCIO DAS PREFEITURAS MERECE ATENÇÃO?

O silêncio das demais prefeituras é visto com insegurança, pois, há exatamente um mês, houve um impasse entre as mesmas cidades e a gestão do governador João Doria (PSDB) por ocasião da fase vermelha temporária de Natal e Ano Novo.

O imbróglio começou no dia 22 de dezembro, quando o retrocesso temporário de duas fases no plano São Paulo foi anunciado pela gestão Doria. As 645 cidades do estado de São Paulo intercalariam a severa fase vermelha nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1, 2 e 3 de janeiro, com a fase em que estavam - no caso da Baixada Santista, a amarela. 

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Regional do Governo Estadual, 20 cidades do estado descumpriram a determinação, entre elas, as nove da Baixada Santista.

À epoca, o Condesb optou por manter a região na fase amarela, adotando uma série de medidas adicionais, no entendimento do órgão, mais apropriadas para as peculiaridades da Baixada Santista. Entre elas a interdição das Praias.

Saiba tudo sobre esse assunto

O dossiê da treta: Impasse entre litoral de SP e gestão Doria continuará na parte 2 da fase vermelha

Para pôr em prática tais medidas, porém, o órgão pediu ajuda do Governo Estadual no suprimento de limitações operacionais e de efetivo fiscalizatório e policial, e também o cancelamento de operações rodoviárias que favoreciam a descida de turistas para o litoral.

Apesar de ter auxiliado a região com efetivo nas barreiras sanitárias,  o Governo estadual alegou que a fiscalização das praias era uma prerrogativa municipal e manteve as estradas arreganhadas. Com isso, cidades como Praia Grande e Peruíbe decidiram não fechar as praias na virada do ano.

Com as demais cidades fechadas, foram registradas intensas aglomerações nas areias de Praia Grande no período de réveillon.

Atualização 25/01 - 06h02 - A Prefeitura de Peruíbe anunciou na manhã desta segunda-feira, 25, que "seguirá integralmente" a reclassificão para a fase vermelha intercalada com a laranja do Plano São Paulo. A cidade é a quinta da Baixada Santista a confirmar inequivocamente que irá aderir à determinação estadual de recuo de fase, a partir desta segunda-feira, 25. Além disso, a cidade também vai endurecer as normas de permanência nas praias nos períodos de fase vermelha

Leia matéria completa aqui.