O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP)  informou que o governo do estado de São Paulo possui, atualmente, 16 contratos de obras para a despoluição do Rio Tietê em fase de execução, com valor atualizado de R$ 1,45 bilhão. Ainda segundo o TCE, Nos últimos nove anos, foram estabelecidas 31 contratações, mas apenas seis concluídas. Do total, três não foram iniciadas, duas encontram-se rescindidas e quatro estão suspensas.

As obras, referentes às etapas III e IV do Projeto Tietê para ampliação da cobertura da coleta, transporte e tratamento de esgotos, são realizadas por meio da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Participe dos nossos grupos ℹ  http://bit.ly/CNAGORA3  🕵‍♂Informe-se, denuncie!

Os dados estão disponíveis no ‘Painel Rio Tietê’, plataforma desenvolvida pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCESP) com o intuito de mostrar a situação dos contratos do Programa de Despoluição em exame pela Corte.

O painel exibe, ainda, os resultados das medições realizadas para avaliar a qualidade da água do rio e do nível de saneamento básico dos municípios em que o Tietê é receptor da carga poluidora.

Em decorrência das fortes chuvas que atingiram São Paulo e a Região Metropolitana nesta semana, as águas do Rio Tietê foram despejadas na represa Billings – reservatório responsável pelo abastecimento de mais de 1,5 milhão de pessoas da Zona Sul e da região do ABC paulista – para evitar inundações.

De acordo com as informações do ‘Painel Rio Tietê’, as medições realizadas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), desde 2001, revelam que a qualidade da água que passa pela Capital variou entre ruim e péssima nas duas últimas décadas.

O ‘Painel Rio Tietê’ foi lançado pelo TCESP em 22 de janeiro e está disponível para acesso pelo link  www.tce.sp.gov.br/paineldotiete .