A tartaruga verde resgatada na manhã deste sábado , 23, na Prainha Branca, em Guarujá, foi recolhida pelo Instituto Gremar, mas não resistiu e morreu. Segundo o instituto, um exame de necrópsia será realizado na segunda-feira, 25, para determinar com precisão a causa da morte.

A tartaruga da espécie Chelania mydas tinha menos de 10 anos e estava com um tumor papiloma na barbatana direita e uma bicada no pescoço. Ela foi socorrida por moradores enquanto estava na água do mar, com dificuldade de locomoção.

Participe dos nossos grupos ℹ bit.ly/GRUPOCNGUARUJA 🕵‍♂Informe-se, denuncie!

Um morador notou os ferimentos e a fragilidade do animal e acionou o Instituto Gremar, responsável pelo resgate de animais marinhos na região.

Técnicos foram ao local, recolheram a tartaruga para reabilitação, mas ela não resistiu e veio à óbito.

GREMAR

A ação é mais um resultado do PMP-BS, atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.

O projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, por meio do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos. O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Gremar monitora o Trecho 9, compreendido entre São Vicente e Bertioga.

Para acionar o serviço de resgate de mamíferos, tartarugas e aves marinhas, vivos debilitados ou mortos, entre em contato pelos telefones 0800 642 3341 ou (13) 99711 4120. Para mais informações, acesse www.comunicabaciadesantos.com.br.