O pré-candidato a prefeito e vereador Gleivison Gaspar (MDB), continua com a rotina de caminhadas por diversos bairros de São Sebastião. Após visitar Topolândia e Maresias, nesta semana, o vereador caminhou por ruas dos bairros Juquehy, Cambury e Jaraguá.

“Tem sido muito bacana. Mas ao mesmo tempo tenho me preocupado bastante. Nessas caminhadas, encontramos muitos servidores e o medo, infelizmente, impera. Não bastasse a humilhação dos últimos quatro anos, em que os servidores não receberam nem sequer a inflação. Foi 0% de aumento por duas vezes. Tudo é motivo para sindicância. Nós temos acesso aos números e nunca uma administração perseguiu tanto os servidores como esta. Os números por si só mostram isso”, disse o vereador.

Ao lado de pré-candidatos a vereador, o parlamenta bateu um papo com a comunidade da região e visitou algumas vias abandonadas pela administração nos últimos anos. Boa parte das residências visitadas declararam apoio a pré-candidatura a prefeito do vereador.

Glevision tem trabalhado em todas as regiões do município nos últimos anos. Prova disso é o trabalho do vereador na Câmara Municipal com relação aos interesses da população.

Na Câmara Municipal, nos últimos três anos, foram centenas de indicações (instrumento legislativo aprovado pelo Plenário ou pela Mesa Diretora cuja finalidade é a de sugerir que outro órgão tome as providências que lhe sejam próprias), e outras centenas de requerimentos (instrumento legislativo apresentado pelo vereador, bancada ou pela Mesa Diretora cuja finalidade é a exigir informações do Poder Executivo, no prazo máximo de 30 dias, conforme determina a Constituição Municipal).

“Sou um pré-candidato construído pela identificação do povo com minha postura ao longo desses anos. Que possamos voltar a ter expectativas, principalmente o público mais jovem”, diz o vereador.

História

Henrique Costa Gaspar é vereador em São Sebastião (SP) e foi reeleito em 2016 com 3.183 votos. O primeiro mandato foi em 2012 com 955 votos. É o parlamentar mais bem votado da história do Litoral Norte.

Trata-se do vereador com o maior número de proposituras e denúncias na Câmara Municipal nas duas legilslaturas. Suas leis foram replicadas em outros municípios e por isso recebeu moção honrosa na Câmara de Ilhabela. “Sou um vereador disposto a melhorar a vida das pessoas; não fujo de embates se a causa for justa. Sei que sou porta-voz de uma população que talvez nem me conheça. Isso é uma honra”, afirma.

Pré-candidato a prefeito, Gaspar é graduado em Letras e pós-graduado em Gramática Normativa. Também é Mestre em Educação e Comunicação e concluiu seu MBA em Gestão Pública.

Gleivison atuou na rede estadual e particular, além de ministrar aulas na faculdade. São mais de duas décadas de trabalho por São Sebastião, onde é professor efetivo da rede municipal.

Filho de Sueli Costa Gaspar, o pré-candidato a prefeito faz questão de destacar em seu perfil que suas raízes são das mais humildes e que sua orientação sexual também se traduziu em mais um complicador (filho de mãe solteira, empregada doméstica, moravam num cortiço e viveram como caseiros até os 18 anos).

Gleivison não foge de polêmicas. E quando o assunto é a sua vida privada, o vereador é categórico

“Minha orientação sexual só será empecilho para os preconceituosos. Nós, cristãos de verdade, sabemos que somos todos irmãos e que a vida particular merece respeito, sem exceção”, disse Gaspar.

Por isso, o professor tem a certeza de que a educação é um instrumento de transformação. “Não há nada mais transformador que uma escola pública de qualidade. Sonho com uma cidade que transforme nossas sementinhas em árvores fortes e saudáveis. Sabemos como fazer isso”, completa o vereador.

Para o vereador, o diálogo é a melhor forma de avançar e progredir no desenvolvimento do município. “A gente precisa mudar isso. E não é com guerra que vamos avançar e progredir. Não é com tirania, comprando as pessoas com atitudes ditatoriais. Não é assim. O diálogo é necessário. Qual é a cidade que queremos a 10, 15, 20 anos?”, questiona.

De acordo com o parlamentar, ser eleito para administrar um órgão público requer uma grande parcela de responsabilidade. “Administrar a máquina pública é ter permanentemente a certeza de que o dinheiro do contribuinte tem de voltar para o povo. Quem tem cargo eletivo para ficar rico desconhece o quanto é honroso trabalhar de verdade”, declara.

“A costa sul, por exemplo, é o nosso pedaço de paraíso e não podemos ficar refém da falta de investimento do governo municipal e estadual”, conclui.