A estrutura que serviria para um hospital de campanha, em Boiçucanga, começou a ser desmontada nesta terça-feira, 30, em São Sebastião.

A montagem da tenda, concluída há quase dois meses, custou R$ 604 mil. O serviço teve que ser executado duas vezes. Isso porque o avanço da maré obrigou a retirada da tenda, que havia sido instalada na orla da praia. O segundo local escolhido foi um terreno particular, cuja utilização vai gerar pagamento ao proprietário.

A Prefeitura anunciou que seriam instalados 96 leitos nesse “hospital”. O prefeito também prometeu, no início de abril, 30 leitos de UTI em Boiçucanga, que ainda não se concretizaram. E nem vai.

Participe dos nossos grupos ℹ  https://chat.whatsapp.com/FS5toaa21PO6s4JpueS0UD  🕵‍♂Informe-se, denuncie!

Ao menos por enquanto, o único hospital de campanha está no Tebar Praia Clube, também sem nenhum paciente atendido no local. A montagem das divisórias no Tebar custou R$ 369,3 mil. O clube também será indenizado pela utilização do espaço.

Sem a instalações de leitos em 80 dias, o discurso passou a ser que os equipamentos estariam prontos para serem instalados, caso houvesse necessidade.

Outro lado

O Sistema Costa Norte de Comunicação procurou a prefeitura de São Sebastião para falar sobre a desmontagem do hospital de campanha de Boiçucanga, mas até o fechamento desta reportagem, às 10h30, não obtivemos respostas.