A prefeitura de Peruíbe, na Baixada Santista, decidiu não fechar as praias durante o Réveillon. A decisão se deu após o Governo do Estado negar pedido de auxílio operacional na fiscalização das orlas, alegando que a responsabilidade de fiscalização das praias é dos municípios.  "O município não possui estrutura para o fechamento de toda a extensão do local, por isso a proibição só será possível caso haja apoio do Estado nesse sentido", informou a gestão municipal de Peruíbe ao Portal Costa Norte, na tarde desta segunda-feira, 28. 

O bloqueio das orlas nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro havia sido decidido pelas prefeituras da Baixada Santista após deliberação do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), realizada na ante-véspera de Natal, 23, como contrapartida da recusa da região à severa fase vermelha, imposta temporariamente pelo governo estadual.

Leia também: À própria sorte: após Estado negar apoio, Praia Grande e Peruíbe não fecharão praias no Réveillon

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/Guarujáinfo2  📲 Informe-se, denuncie!🔵

Como Peruíbe vai funcionar na virada de ano

Mesmo com o não fechamento das praias, a Prefeitura de Peruíbe recomendou que os turistas e moradores que estejam na cidade durante a Réveillon não utilizem a orla e a praia, para evitar aglomerações. 

A cidade também vai mobilizar seus recursos para fiscalizar as áreas. Segundo a prefeitura, "o efetivo de fiscais de posturas será dobrado com escala por período, e todo o efetivo da Guarda Civil Municipal também está escalado para fiscalizações gerais por toda a cidade". 

Até o próximo dia 7, o Departamento de Mobilidade Urbana fecha a Avenida Mário Covas (beira-mar), no trecho entre as ruas Faustino Silva e São Pedro, região central da cidade, onde tradicionalmente há mais movimento. A medida acontece diariamente das 18h às 7h, sentido Porto/Ruínas.

Visando conter aglomerações que propiciam a disseminação da covid-19 e em respeito à fase amarela, o município proibiu ônibus turísticos fretados de entrarem na cidade, deixando de emitir autorizações para este tipo de transporte durante o período de festas de final de ano. No âmbito da Operação Verão, 150 policiais apoiam a fiscalização geral do município. Também está mantido o cancelamento da queima de fogos na cidade. 

Festas de fim de ano na Baixada: disputa com o Governo Estadual

Ficou acordado na plenária do colegiado regional que as prefeituras fechariam as praias desde que o governo estadual auxiliasse a região com efetivo policial e suporte operacional na ocasião. As medidas compensatórias, segundo o Condesb, presidido pelo Prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), visavam a diminuição da proliferação da covid-19. “Objetivo é evitar a vinda das pessoas. O Réveillon na praia não será possível", declarou o presidente do colegiado, após a reunião realizada na última quinta-feira, 23. 

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/Guarujáinfo2  📲 Informe-se, denuncie!🔵

Além de recusar o auxílio operacional solicitado pelas prefeituras para o isolamento das orlas durante o Réveillon, o Governo Estadual também não atendeu a solicitação do Condesb de cancelar a Operação Descida e a inversão das pistas no Sistema Anchieta-Imigrantes,  no período de Natal. O pedido visava desestimular a descida de veículos, nos dias 25,26 e 27, parte do mesmo período em que governo estadual determinou a fase vermelha. 

Saiba mais: 

Artesp e Ecovias recusam apelo de prefeituras da Baixada Santista, SP, e mantém Operação Descida

Entre 800 mil e 1,2 milhão de veículos podem ir ao litoral de SP nas semanas do Natal e Ano Novo