A prefeitura de Ilhabela, por meio da secretaria de saúde, promoveu nos dias 15 e 17 de julho, no Paço Municipal, as adequações da retomada das visitas domiciliares dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), das Unidades da Saúde da Família no âmbito da Atenção Primária à Saúde.

A divisão dos dias das palestras se tornou necessária devido à possibilidade do distanciamento social por conta da pandemia do coronavírus. As apresentações foram executadas pela Coordenadora das Unidades de Saúde e pelo Coordenador da Atenção Primária à Saúde, Tânia Barbosa e Antonio Galante, respectivamente.

Existe uma grande preocupação com o período pós-pandêmico e a manifestação de doenças não identificadas no período do isolamento, tais como: aumento da incidência de infarto cardíaco, AVE, câncer de mama, câncer de colo de útero, doenças sexualmente transmissíveis graves, doenças passíveis de prevenção por vacinação na infância, doenças psiquiátricas, entre outras.

Participe dos nossos grupos ℹ📲   https://bit.ly/NOTÍCIASLITORALNORTE  Informe-se, denuncie!

Gustavo Barboni, secretário de saúde, identifica que “Agente Comunitário de Saúde é, sobretudo, lutar e aglomerar forças em sua comunidade na defesa dos serviços públicos de saúde e educação, e da melhoria dos determinantes sociais de saúde. É ser agente de mudanças e de incentivo à participação comunitária”.

Os retornos das visitas domiciliares foram enfatizados na prioridade os pacientes de risco em virtude de doenças crônicas descompensadas (imunossupressão, hipertensão e diabetes) ou condição crônica que requeira acompanhamento presencial (planejamento familiar, puerpério, pré-natal e puericultura). O gerenciamento das listas de pacientes poderá incluir o contato com as famílias através de telefonemas.

Durante as reuniões foram eleitos os representantes dos ACS em uma atividade democrática e com representatividade da classe, esses representantes farão a articulação com a gestão da Secretaria Municipal de Saúde semanalmente, onde todas as demandas dos serviços de saúde e da categoria serão discutidas em conformidade com as diretrizes do sistema de saúde local e as respectivas áreas abrangidas.

Os eleitos foram Alessandra Andrade e André Luiz, agentes das áreas do Perequê e Água Branca, respectivamente, que passam a representar a categoria e consideram que o ACS “ é antes de tudo, ser alguém que se identifica, em todos os sentidos, com sua própria comunidade, principalmente na cultura, linguagem e costumes. Ser agente de saúde é ser povo, é viver dia a dia a vida da comunidade. ”