A República Democrática do Congo anunciou nesta segunda-feira, 1, um novo surto de ebola no país. O ministro da Saúde, Eteni Longondo, confirmou em uma entrevista coletiva que quatro pessoas já morreram. As quatro mortes aconteceram em um bairro de Mbandaka, principal cidade da província de Equador, 600 km ao norte da capital Kinshasa.r, 600 km ao norte da capital Kinshasa.

Mbandaka também teve outro surto de ebola, o nono do país, de maio a julho de 2018, que matou 33 pessoas. Com o anúncio desta segunda-feira, este passa a ser o décimo primeiro surto de ebola na RDC desde que o vírus foi descoberto em 1976.

O novo foco do vírus ebola ocorre em meio à pandemia de covid-19, que infectou ao menos 3.195 pessoas e deixou 72 mortos no país, de acordo com um levantamento da Universidade Johns Hopkins.

Participe dos nossos grupos ℹ  http://bit.ly/CNAGORA6  🕵‍♂Informe-se, denuncie!

A informação foi confirmada também pelo diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus. O médico publicou no Twitter: “Esse surto é um lembrete de que a covid-19 não é a única ameaça à saúde que as pessoas enfrentam”.

A médica Matshidiso Moeti, diretora regional da OMS para a África lembrou que a OMS está presente para auxiliar neste momento, "Está acontecendo em um momento desafiador, mas a OMS trabalhou nos últimos dois anos com as autoridades de saúde, o CDC da África e outros parceiros para fortalecer a capacidade nacional de responder a surtos". 

O Congo luta para acabar com um surto de ebola ativo há quase dois anos perto das fronteiras ao leste com Ruanda e Uganda. Lá, o vírus já matou mais de 2.200 pessoas, o surto mais mortal da doença já registrado, após a epidemia generalizada no leste da África de 2013 a 2016.