O registro da candidatura do arquiteto José Mauro Dedemo Orlandini (PSL) para prefeito de Bertioga recebeu parecer contrário do promotor de Justiça Eleitoral Roberto Mendes de Freitas Júnior, na segunda-feira, 19. Ele acatou uma das três teses do pedido de impugnação apresentado pelas coligações Bertioga Pode Mais, da candidata Lucília Goulart (PL), e Bertioga Chapa Forte, do candidato Silvio Magalhães (PSB). Agora cabe ao juiz a decisão, sobre o deferimento ou indeferimento do registro da candidatura de Orlandini. 

Participe dos nossos grupos http://bit.ly/COSTAINFORMA8 📲 Informe-se, denuncie!

Na ação de impugnação do registro de candidatura, apresentada na 272ª Zona Eleitoral de Santos, os diretórios municipais citam que Mauro Orlandini teria sido condenado por improbidade administrativa e “também por ter suas contas rejeitadas enquanto era chefe do Executivo da cidade de Bertioga, nos anos de 2016; 2015; 2014; 2013; 2012 e 2009, e, ainda, por não ter se desincompatibilizado de cargo público no prazo legal”.

Na noite de segunda-feira, Mauro Orlandini fez uma live, ao lado de seu candidato a vice, o funcionário público Fernando Moreira, onde informou seus eleitores sobre o pedido de impugnação e a decisão do promotor e mostrou-se confiante com a decisão Judicial, que deve sair a qualquer momento. Sobre a situação ele comentou: “Tentaram antes que a gente ficasse junto; antes servia, agora não serve mais, quer dizer, o eleitor fica doido, né? Imagina”.

Em nota, o comitê eleitoral de Orlandini declarou: “A Justiça Eleitoral, no dia 18/10, abriu prazo para se manifestarem aqueles que estão tentando barrar o registro de candidatura do Orlandini, ou seja, a Coligação da candidata do PL – Lucília Goulart e a Coligação do Candidato do PSB – Silvio Magalhães. Abriu prazo também para manifestação do MP, que descartou as teses dos adversários de inelegibilidade, acolhendo apenas UMA, referente às contas rejeitadas pela Câmara Municipal. O candidato aguarda confiante a manifestação do judiciário em relação às irregularidades da Câmara no que tange às referidas contas, assim como o deferimento de seu registro de candidatura”.