Ao tomar conhecimento do incêndio florestal que se iniciou na Serra do Queixo d'Anta, situada no distrito de São Francisco Xavier (município de São José dos Campos), o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema) mobilizou-se para acionar formalmente a municipalidade, responsável pela Área de Proteção Ambiental (APA) municipal de São Francisco Xavier; a Fundação Florestal, gestora da APA estadual; o ICMBio, gestor da APA Bacia do Rio Paraíba do Sul; e a Polícia Militar Ambiental. O fogo consumiu uma área com cerca de 30 hectares.Embora o incêndio tenha sido controlado na madrugada desta terça-feira (11/8) por funcionários da subprefeitura de São Francisco Xavier e voluntários das APA mediante intensa ação humana, há necessidade de agora aferir os danos ambientais ocasionados nas áreas protegidas e, também, se a origem das chamas foi criminosa, definindo-se responsabilidades.Desde 2019, o Ministério Público acompanha, por meio de procedimento específico, as tratativas para aumentar a proteção aos muriquis-do-sul (Brachyteles arachnoides), espécie de primata em risco de extinção, buscando favorecer os estudos da biodiversidade e fomentar, no local, a criação de um amplo corredor ecológico.Além da questão dos muriquis, o Gaema também acompanha, em procedimento distinto, o problema cíclico das queimadas em Unidades de Conservação no período das secas, debatendo com outros órgãos as medidas mais adequadas para sua prevenção.MPSP