O policial militar Farani Salvador Freitas Rocha Junior foi denunciado pela Promotoria de Justiça do I Tribunal do Júri da Capital por ter mandado matar o também policial Wanderley Oliveira de Almeida Junior. O  homicídio foi cometido em fevereiro deste ano, em Itaquera. De acordo com o apurado, a vítima tinha conhecimento da ligação entre Rocha Junior e integrantes da organização criminosa conhecida como PCC, incluindo traficantes de drogas da comunidade “Favela da Caixa D’Água”, no bairro de Cangaíba. Almeida Junior pretendia comunicar os fatos às autoridades, mas temia por sua vida e de seus familiares. "Sabe-se que, dias antes de sua morte, a vítima compartilhou tais informações com alguns policiais militares, os quais eram considerados de sua confiança, externando a eles o desejo de que os fatos chegassem ao conhecimento dos superiores hierárquicos do policial Farani", diz a promotora Soraia Munhoz na denúncia. Após saber sobre a intenção da vítima em relatar os fatos à Polícia Militar, Rocha Junior resolveu encomendar a sua morte. Os dois indivíduos recrutados para cometer o crime surpreenderam Almeida Junior em frente a um estabelecimento comercial e dispararam várias vezes contra ele.Rocha Junior foi denunciado por homicídio com três qualificadoras: envolvendo pagamento, por meio cruel e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima.MPSP