Um ônibus com 41 passageiros foi aprendido em ação conjunta entre Polícia Militar, Guarda Civil e Secretaria Municipal de Trânsito na noite de terça-feira, 26, em Peruíbe, no litoral paulista. A força-tarefa é mais uma entre as medidas adotadas para impedir aglomerações e conter a disseminação da Covid-19. Um dia antes a prefeitura se posicionou favorável à reclassificação à fase vermelha combinada com laranja no plano estadual.  

Participe dos nossos grupos ➤ http://bit.ly/CostaNorteInforma 📲 Informe-se, denuncie! 🔵

O veículo sem autorização para entrar na cidade efetuava o transporte clandestinamente, e os passageiros não foram autuados. O motorista foi convidado a depor.

A entrada de transporte coletivo fretado só é permitida com autorização da prefeitura. As emissões estão suspensas por tempo indeterminado por sobrepor a legislação adotada na pandemia.

LEIA TAMBÉMPeruíbe, SP, confirma adesão à fase laranja-vermelha e terá lockdown nas praias aos finais de semana

Mais restrições

Por meio de decreto a prefeitura de Peruíbe informou que, durante os períodos de fase vermelha, vai endurecer as normas de permanência nas praias. "Na fase vermelha fica vedado todo e qualquer serviço na orla das praias, tais como: ambulantes, guarda-sóis, barracas, cadeiras e outros. Os quiosques poderão adotar o sistema de entrega a domicílio, 'delivery'; 'drive-thru' ou retirada no estabelecimento comercial, porém, é proibida a entrega para consumo na faixa de areia e arredores".

LEIA TAMBÉM ➤ Peruíbe registra 2.389 pacientes recuperados da covid-19

Vermelha e laranja

A fase vermelha é a mais restritiva do degradê paulista. Nela, bares, restaurantes, shopping centers e todo o comércio não essencial são proibidos de funcionar. A Baixada Santista, assim como todo o estado, permanece na fase vermelha todos os dias úteis das 20h às 6h e durante os sábados e domingos o dia inteiro.

Já na fase laranja, a qual se aplica de segunda às sextas-feiras das 6 às 20h, o comércio pode operar por oito horas, pausadas ou não, com limitação de 40% de ocupação incluindo os restaurantes; os bares podem vender, mas o consumo fica proibido no local; e o acesso aos parques estaduais e atividades culturais fica permitidos até as 20h.