Um candidato a vereador viveu um dia de cão neste domingo, 25. O empreiteiro Jailson Cabral de Medeiros (PRTB) que disputa uma cadeira na câmara legislativa de Guarujá, foi fazer campanha de rua e acabou sendo assaltado por cinco ladrões, um deles ainda desferiu diversos socos no estômago do homem.

Em plena luz do dia, por volta das 10h20 da manhã, na avenida Santos Dumont, em Vicente de Carvalho, no Guarujá, Jailson Medeiros, 42 anos, e sua esposa caminhavam em campanha, na altura do número 1500. O movimento era, como de costume, grande naquela que é uma das principais avenidas do Guarujá e principal de Vicente de Carvalho, distrito da cidade.

Participe dos nossos grupos 👉 http://bit.ly/COSTANOTÍC2 📲 Informe-se, denuncie

Tudo parecia correr bem, Jailson fazia sua campanha, sua esposa panfletava do outro lado da rua, quando, do nada, começou o drama: “eu e minha esposa estávamos entregando panfletos, conversando com as pessoas, quando chegaram cinco homens gritando ‘é assalto, é assalto!’”, recorda o empreiteiro.

Os cinco homens cercaram o candidato e efetivaram um roubo coordenado. Um deles disse estar armado e ficou vigiando, um  segundo desferiu inúmeros golpes de soco no estômago do candidato; enquanto isso, um outro arrancou uma corrente de ouro de seu pescoço, um quarto sujeito roubou o celular do candidato e um quinto lhe roubou a carteira com documentos e 300 reais em dinheiro.

Jailson ficou depenado, assustado e agredido. “Eram cinco, não tinha como reagir, ou correr. E um não mostrou a arma, mas ficou com a mão na cintura, podia estar armado mesmo, com um revólver, uma faca. Fiquei assustado, ele podia me furar”, recorda o infeliz candidato.

A esposa dele, a cabeleireira Maria Aparecida, 44 anos,  estava do outro lado da rua no momento do crime, por essa razão ela acredita que os ladrões não a roubaram também. “Foi tudo muito rápido, não sei exatamente quanto tempo levou, mas foi muito rápido. Me senti muito mal de ver meu marido sendo agredido, roubado, e não poder fazer nada, mas se eu fosse lá ajudar eles iam me roubar também”, relata. O sangue-frio de Maria, entretanto, acabou por se revelar um elemento chave numa grande reviravolta da história.

A reviravolta

Após agredir e tomar os pertences de Jailson, os cinco desnaturados se dispersaram na avenida. Alguns entraram nas ruas transversais, um deles, todavia, teve a audácia de permanecer próximo ao local do roubo. Enquanto isso, o azarado candidato, ainda desnorteado e com dor no estômago, conseguiu que um transeunte lhe emprestasse um celular e ligou para a polícia. Simultaneamente, Maria Aparecida seguiu a pé e à distância um dos cinco criminosos, precisamente aquele que agredira seu marido e que ficou próximo ao local. “Eu estava com medo, mas estava com mais raiva, muita raiva. O homem parecia drogado". Enquanto Maria seguia o homem com cautela, ele ainda tentou roubar uma bicicleta e se evadiu para as proximidades da “Feira do Rolo” que fica na região.

Nesse momento, a Polícia Militar chegou ao local e prendeu, com ajuda dela, o ladrão que Maria Aparecida havia seguido. De acordo com a PM, “ao ser indagado sobre os fatos, [ele] apenas informou ser ladrão. (...) e usou o direito constitucional de ficar calado. ”Os demais roubadores não foram encontrados, “foram efetuadas diligências para localizar os outros participantes do crime, bem como recuperar os objetos da vítima, mas restaram infrutíferas até o presente momento" afirmou a PM. 

A posteriori, Jailson conseguiu recuperar seus documentos e sua corrente de ouro, o dinheiro, todavia, se foi. O homem que roubou e agrediu Jailson foi autuado em flagrante por roubo circunstanciado. O caso corre no 1º DP de Guarujá, em Vicente de Carvalho. Os demais ladrões não foram capturados.

De acordo com a cabeleireira Maria Aparecida, seu marido está traumatizado, mas continua fazendo campanha e ela continua trabalhando, “tem duas noites que ele nem dorme. Estamos como medo, mas seguimos trabalhando. Não pode parar”.