Um esquema de entrega de drogas e celulares em presídios por meio de sobrevoos ilegais de drones é investigado pela Polícia Civil da região de Presidente Prudente (Deinter-8), em parceria com o Ministério Público.

Segundo as investigações ainda em andamento, o esquema de entrega era pago por viagem, previamente agendada. No esquema desmantelado pela operação, eram pagos valores exorbitantes para a aquisição e entrega das encomendas de drogas e celulares, chegando a até R$ 8 mil por unidade entregue.

A operação, denominada Voo de Ícaro, também verificou que os drones eram usados para sobrevoar casas de servidores públicos, além de sedes de órgãos de justiça criminal. Sete autoridades da região tiveram seus deslocamentos monitorados pelos aparelhos, previamente programados. 

A Polícia Civil informou que as diligências prosseguirão para abate e apreensão dos drones ilegais, por se tratarem de aparelhos sem homologação da ANATEL e tampouco registro da ANAC e cujos voos não são registrados junto ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro.

As investigações continuam para identificar e prender os integrantes da organização criminosa.

Fonte: Polícia Civil SP