Policiais da 1ª Delegacia de Polícia de Investigações Gerais, da Divisão Especializada de Investigações Criminais de Campinas (Dise/Deic/Deinter 2) prenderam, na tarde de quinta feira (13), no bairro Satélite Iris I, três pessoas em um alambique clandestino de envaze de bebidas de marcas conhecidas de whisky.

As investigações permitiram que os agentes passassem a investigar essas fábricas clandestinas, após apreensão de bebidas falsas já realizada por equipes dessa delegacia no dia 5 de maio.

Aproximadamente 300 garrafas já envasadas foram apreendidas, além de diversas garrafas vazias, prontas para serem enchidas e lacradas. Diversos galões de whisky já falsificado foram também apreendidos.

Adesivos, selos, lacres e embalagens também foram levados a delegacia para serem apreendidos. Os três detidos, após o registro da prisão, foram encaminhados para o 2º Distrito Policial de Campinas, onde aguardarão decisão judicial.

Paulínia

Na manhã desta sexta-feira (14), policiais civis da Delegacia de Polícia de Paulínia (Deinter 2) cumpriram mandados de busca e apreensão, no bairro Bom Retiro, localizando um depósito clandestino de bebidas alcoólicas falsificadas.

Pela Rua Oscar Pereira, foram localizadas 489 garrafas com bebidas (uísque, vodca, gim e tequila) e 217 garrafas vazias para serem enchidas. Ninguém foi preso.

Campinas

Na manhã desta sexta-feira (14), a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão, autorizado pela 2ª Vara Criminal de Campinas, numa residência, no Jardim do Lago, naquele município.

A equipe da Divisão Especializada de Investigações Criminais de Campinas (Deic) localizou diversas bebidas conhecidas como Jack Daniel's, White Horse, Johnnie Walker, entre outros, de procedência duvidosa, que estavam sendo comercializados por redes sociais a preço abaixo de mercado.

Na casa também foram encontrados 3.000 maços de cigarros nacionais sem procedência, uma vez que o autuado não conseguiu justificar aquele produto na residência, nem apresentou as notas fiscais.

O suspeito afirmou que adquiriu as bebidas  em troca de seu veiculo, já que trabalha como vendedor  autônomo de  roupas e outros produtos em redes sociais. Cada bebida era vendida em média ao preço de R$ 50, sabendo que o produto era falsificado.

O autor foi autuado em flagrante por crime de falsificação de produtos alimentícios.Polícia Civil SP