Policiais civis da Delegacia de Polícia de Investigações Gerais de Registro (Deinter 6), com apoio dos agentes do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos, prenderam na manhã de hoje (7), um homem suspeito de ter torturado e matado um idoso, de 66 anos, em outubro de 2019.

As investigações começaram quando enfermeiros do Hospital Regional de Registro comunicaram à Especializada que um idoso, com sinais de tortura, havia dado entrada na UTI.

A vítima foi encontrada ferida e inconsciente no seu sítio, por um vizinho, que levou o idoso para o atendimento médico emergencial.

No dia 22 de novembro de 2019 o idoso não resistiu às inúmeras queimaduras sofridas e faleceu.

Em continuidade às diligências investigativas, os policiais apreenderam vários objetos deixados no sítio após o crime, e passaram a proceder com a colheita dos depoimentos das testemunhas.

Adotadas as demais ações de polícia judiciária, foi descoberto pela investigação que o idoso tinha um filho de quem não havia reconhecido a paternidade e que a relação entre os dois era conturbada.

Constatada a veracidade das informações colhidas no andamento da investigação, os policiais descobriram que esse suposto filho havia ido ao sítio da vítima antes do crime. Reunidas as provas em desfavor do suspeito, representou-se pela prisão temporária e mandado de busca e apreensão em três endereços distintos, em São Paulo.

O suposto filho foi preso no bairro Jardim Laranjeiras, em São Paulo.Polícia Civil SP